Foto: MDR/Divulgação
Foto: MDR/Divulgação

Rio de Janeiro terá R$ 750 milhões para ampliar coleta e tratamento de esgoto

Recursos serão financiados pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e beneficiarão de forma indireta toda a população da capital fluminense


Para alavancar o índice em mais de 10% na coleta e tratamento da rede de esgoto da cidade do Rio de Janeiro, beneficiando indiretamente toda a população do estado, o Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou o financiamento de R$ 712,3 milhões para obras na implantação do sistema de esgotamento sanitário da cidade. Em contrapartida, o governo estadual vai investir R$ 37,5 milhões.

“Estar aqui hoje para nós é reafirmar um compromisso de que este Governo Federal tem em atacar a pior e a mais evidente tragédia ambiental que nosso país enfrenta, que é a falta do tratamento de esgoto e a falta de água tratada para milhões de brasileiros. Vamos levar dignidade, cidadania, esperança e saúde para uma grande parte dos brasileiros que estão à margem dessa situação” afirmou o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

O empreendimento contará com redes coletoras, estações elevatórias, estações de tratamento e ligações prediais na Área de Planejamento 5 (AP-5), que é composto por 22 bairros: Deodoro, Vila Militar, Campo dos Afonsos, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Padre Miguel, Realengo, Senador Camará, Gericinó, Bangu, Vila Kennedy, Paciência, Santíssimo, Senador Vasconcelos, Campo Grande, Cosmos, Inhoaíba, Paciência, Sepetiba, Pedra de Guaratiba, Guaratiba e Barra de Guaratiba.

O planejamento prevê a execução de obras em parte dos Sistemas Sarapuí, Campinho, Cação Vermelho e Rio do Ponto. Além disso, será implantada uma estação de tratamento de esgoto em Campo Grande e ampliação de duas estações de tratamento: Bangu e Sepetiba. Em Bangu, foi incluído um sistema de secagem solar de iodo.

Atualmente, a coleta da rede de esgoto do município beneficia 51% da população do AP-5, ou seja, 978 mil pessoas. Com os investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), esse índice subirá para 63%, aumentando para 1,2 milhão de habitantes atendidos com uma rede de esgoto em suas residências.
Já o tratamento adequado é fornecido para 66% do esgoto coletado na cidade do Rio de Janeiro, o que representa aproximadamente 645 mil habitantes. Com as melhorias na implantação do sistema de esgotamento sanitário, esse índice subirá para 77% do esgoto coletado, atendendo cerca de 953 mil pessoas.

A partir da publicação da autorização do financiamento, a empresa F.AB. Zona Oeste S/A, que opera nesta região do Rio de Janeiro, firmará contrato com os agentes financeiros Caixa Econômica Federal e BTG Factual. No total, serão investidos R$ 749,8 milhões.

“O saneamento faz parte daqueles itens na vida da pessoa que levam a dignidade, que levam a pessoa a voltar a se sentir importante, que desafoga o sistema de saúde, que fazem com que a gente demonstre que aquela pessoa mais pobre é importante”, reforçou o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro.

Investimentos federais

Desde 2019, o MDR já investiu R$ 7,4 bilhões para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País. Atualmente, a carteira de obras e projetos da Pasta no setor – contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – é de 1.154 empreendimentos, somando um total de R$ 42,4 bilhões, sendo R$ 24,9 bilhões de financiamentos e de R$ 17,5 bilhões de Orçamento Geral da União.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Governo Federal autorizou o financiamento de mais de setecentos milhões de reais para obras na implantação, ampliação e reabilitação do sistema de esgotamento sanitário do Rio de Janeiro. Em contrapartida, o governo estadual vai investir quase quarenta milhões de reais. 

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, esteve presente à cerimônia e reafirmou o compromisso do Governo Federal em levar o tratamento de esgoto a toda a população. 

TEC./SONORA: Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional
“Vim aqui hoje para reafirmar um compromisso, compromisso que este Governo Federal tem em atacar a pior, a mais evidente, tragédia ambiental que nosso país enfrenta, que é a falta do tratamento de esgoto e a falta de água tratada para milhões de brasileiros. Vamos levar dignidade, cidadania, esperança e saúde para uma grande parte dos brasileiros que estão à margem dessa situação.” 

LOC.: O empreendimento contará com redes coletoras, estações elevatórias, estações de tratamento e ligações prediais que vão beneficiar 22 bairros da Zona Oeste do Rio de Janeiro. 

O Governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, também reforçou a importância de garantir a coleta e o tratamento de esgoto para a população do estado. 

TEC./SONORA: Cláudio Castro, governador do Rio de Janeiro
“O saneamento faz parte daqueles itens na vida da pessoa que levam a dignidade, que levam a pessoa a voltar a se sentir importante, que desafoga o sistema de saúde, que fazem com que a gente demonstre que aquela pessoa mais pobre, ela importa.”

LOC.: Desde 2019, o Governo Federal já investiu mais de sete bilhões de reais para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo país. 

Para saber mais sobre as ações de saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, acesse mdr.gov.br 

Reportagem, Roberta Camargo