Dr. Ajuda
30/11/2021 03:00h

Nesta edição do Doutor Ajuda a dermatologista Vivian Loureiro fala sobre o assunto

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Você já teve Herpes zoster, popularmente conhecido como cobreiro? Sabe quando suspeitar e o que fazer para prevenir? 

Nesta edição do Doutor Ajuda a dermatologista Vivian Loureiro fala sobre o assunto.

Herpes Zoster é uma doença mais comum do que as pessoas imaginam. Estima-se que 20% das pessoas terão um episódio de Zoster em algum momento da vida.

O Herpes Zoster é causado pelo vírus varicela zoster ou herpes vírus humano tipo 3, que é o mesmo que causa a catapora. A catapora (ou varicela) é a primo-infecção, ou seja, é o primeiro contato do nosso corpo com o vírus e, geralmente, acontece na infância. Depois que a varicela passa, o vírus continua em latência dentro do organismo por anos, alojado em um gânglio nervoso. Em determinado momento, esse vírus, que estava dormente, pode reativar, causando o Herpes Zoster e isso costuma acontecer em situações em que há queda da imunidade. 

Pessoas que possuem mais chances de desenvolver:

  • idosos;
  • portadores de doenças que prejudicam o sistema imunológico, como AIDS, lúpus e câncer;
  • pessoas em uso de medicamentos imunossupressores e quimioterapia.

Os primeiros sintomas costumam ser dor, ardor, coceira ou formigamento e vem antes do aparecimento das lesões de pele.

Poucos dias depois, surgem, na pele, vesículas que são pequenas bolhas. A principal característica é que essas vesículas são agrupadas e bem localizadas. As lesões são restritas a uma área do corpo, afetando só um lado e não ultrapassam a linha média. O local afetado corresponde à parte da pele relacionada ao nervo onde o vírus estava latente. Enquanto as bolhas estão com conteúdo líquido, a doença é transmissível e o vírus pode contaminar outras pessoas.

Existe alguma forma de prevenção? Sim! Existe prevenção por meio de vacinas. A vacina da catapora, indicada para crianças entre 1 e 12 anos, previne a primo-infecção pelo vírus e, consequentemente, a reativação dele no futuro. E a vacina para Herpes Zoster pode ser feita em adultos a partir dos 50 anos, inclusive naqueles que já tiveram a doença. A eficácia da vacina chega a 70%. Está disponível no Brasil desde 2014, mas ainda não faz parte do calendário nacional de imunizações gratuitas.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre o tema:  

  • O que é herpes zoster? 
  • Sintomas
  • Gravidade

Para saber mais sobre o assunto, assista ao vídeo no canal Doutor Ajuda. 

Copiar o texto
26/11/2021 09:35h

Não se sabe quais parlamentares farão os relatórios parciais a serem sistematizados pelo relator do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 19/2021, que trata da proposta orçamentária

Depois do chamado “orçamento secreto”, temos agora mais personagens no processo orçamentário: os “Relatores Setoriais Secretos”. Com prazo para entrega de relatórios até esta sexta-feira (26), ainda não se sabe quem serão os parlamentares que farão os relatórios parciais para serem sistematizados pelo Relator Geral do Orçamento, Deputado Hugo Leal (PSD/RJ).

LEIA MAIS:
Governo tem até 30 de novembro para dar novo destino aos recursos das emendas de relator, avalia especialista

Como o orçamento federal é muito complexo e trata de todas as áreas do governo (educação, saúde, infraestrutura, relações exteriores, desenvolvimento regional, dentre outras), a norma que rege o processo legislativo orçamentário dividiu a peça orçamentária em 16 áreas temáticas. Cada uma é ocupada por um membro da CMO, sendo 6 senadores e 10 deputados, indicados por suas lideranças partidárias e designados pelo Presidente da comissão mista de orçamentos.

A presidente da Comissão Mista de Orçamentos (CMO), no afã de ser eleita, vendeu o que não lhe pertencia e, agora, se complica para fechar a conta das relatorias setoriais, que já deveriam ter seus titulares designados com base nas indicações das lideranças partidárias com assento na CMO. 

O acordo feito por ela com o senador Ângelo Coronel para chegar à presidência do colegiado foi muito criticado pelo seu próprio partido, pois os faria perder a chance de relatar a área de infraestrutura. Além disso, ela permitiu que parlamentares fizessem outros acordos entre si, sem observar as indicações das lideranças partidárias. 

Agora, a presidente sabe que está em uma encruzilhada entre a ilegalidade e a aprovação do orçamento ainda neste exercício. É uma ótima novela para se acompanhar.

 

Copiar o texto
26/11/2021 04:30h

Neste episódio o endocrinologista Dr. Marcio Aurélio dá mais detalhes sobre como controlar o diabetes tipo 2

Baixar áudio

Você tem diabetes e não consegue um bom controle? Sabe como controlar essa doença? Neste episódio o endocrinologista Dr. Marcio Aurélio dá mais detalhes sobre como controlar o Diabetes tipo 2.

Abaixo 10 pontos importantes no controle do Diabetes: 

  1. Acompanhamento constante. O diabetes é uma doença crônica e progressiva de tal modo que é esperado que ele piore ao longo do tempo. O paciente que não realiza acompanhamento não descobrirá que está descontrolado ou que sua situação está piorando.
  2. Negação da doença. É muito comum o paciente passar por uma fase de negação, pois a glicemia não muito elevada não apresenta sintomas e o paciente não quer aceitar que precisará mudar seus hábitos e fazer alguns ajustes no estilo de vida como mudança na alimentação, realização de exercícios físicos. O controle na fase inicial da doença é primordial para o desenvolvimento da doença a longo prazo.
  3. Inércia terapêutica.  Sabemos que mudanças no estilo de vida são difíceis e muitas vezes ocorrem de maneira temporária e muitos médicos ao invés de receitar a medicação assim que diagnosticada a doença acabam dando um voto de confiança ao paciente confiando que ele irá realizar mudanças em seu estilo de vida e quando avaliado novamente é visto que o diabetes está descontrolado. 
  4. Uso correto das medicações. Muitos pacientes não fazem o uso correto das medicações ou simplesmente não fazem o uso assim como também não realizam o controle da glicemia capilar. 
  5. Valor da medicação. O custo da medicação acaba interferindo, muitos não possuem condições de manter um tratamento a longo prazo e por isso devem notificar ao médico ou verificar a possibilidade de pegar gratuitamente pelo SUS. 
  6. Hipoglicemia. A hipoglicemia, glicose no sangue muito baixa, realmente dá sintomas bem desagradáveis e muitos pacientes têm muito medo de ter hipoglicemia novamente o que acaba levando o paciente a preferir ficar com uma glicose um pouco mais alta do que correr risco de ter a hipoglicemia novamente.
  7. Monitorização da glicemia capilar é a parte fundamental do tratamento pois uma vez que é realizado esse controle em casa e anotado os valores é possível levar estes dados ao médico para que seja feitos ajustes nas medicações. 
  8. Parar com o tratamento habitual por tratamentos alternativos, opiniões de amigos ou de especialistas da internet
  9. Alimentação. Quanto mais caprichamos na alimentação, de maneira geral, e perdemos peso, menos medicamentos e insulina precisamos para o controle do diabetes.

Converse com o seu médico sobre suas dificuldades e medos no controle do diabetes. Para saber mais assista ao vídeo no canal do Dr. Ajuda.

Copiar o texto
24/11/2021 03:00h

Nesta edição, Érica Ferraz explica o poder do convencimento e da persuasão na comunicação

Baixar áudio

Qual a diferença entre convencer e persuadir? Hoje vamos falar sobre o poder do convencimento e da persuasão na nossa comunicação.

Convencer mexe com a razão. Persuadir e influenciar mexe com a emoção das pessoas.

São habilidades de comunicação muito buscadas hoje em dia em todas áreas. Os líderes, os políticos e a publicidade usam muita persuasão e influência. E é muito importante lembrar de ser sincero, honesto e transparente. 

Quando você não tem esses pressupostos você tem manipulação, que é você agir deliberadamente para  tirar vantagens de outra pessoa ou coagir o outro a fazer o que você quer.

Tem um livro muito interessante do Álvaro Fernando que é Comunicação e Persuasão: o poder do diálogo. Ele afirma que há quatro capacidades básicas para persuadir: compartilhar nossas histórias e experiências, estar presente, saber brincar e mochila de opiniões, ou seja nossas opiniões não somos nós e podemos tirar e recarregar novas opiniões. 

Convencer tem a ver com dados, informações. Capriche nos seus argumentos. 

Persuadir e influenciar tem a ver com a emoção. Então olhe no olho da pessoa, esteja presente, conte histórias. Uma das melhores formas de você persuadir alguém é você contar suas próprias histórias para que o outro se identifique com você. 

O ideal é você, em uma palestra, discurso, reunião, saber dosar esses elementos. Não fique só no emocional, porque pode parecer manipulação e não fique só nos dados porque acaba ficando chato. 

EMISSORAS DE RÁDIO: Comunicador, disponibilizamos o áudio deste podcast para download. Utilize e diversifique sua programação!    

Quer saber mais? Aperte o play e escute o podcast Comunicação Positiva!

Copiar o texto
Dr. Ajuda
24/11/2021 03:00h

Neste episódio o Ortopedista Dr. Helder Miyahara dá mais detalhes sobre o assunto

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Você sente dor no quadril? Neste episódio o Ortopedista Dr. Helder Miyahara dá mais detalhes sobre o assunto.

O quadril é a articulação que une o osso da coxa, chamado de fêmur, com a bacia, ou pelve, em um osso chamado de acetábulo. Por ser uma região grande e com diversas estruturas importantes, as causas para a dor podem ser bastante variadas e inclusive não ortopédicas. 

Dor na frente do quadril

Quando a dor é nesta região uma das principais suspeitas é de artrose do Quadril, que é o desgaste entre um osso e outro e que pode causar bastante dor, limitação de movimento importante e bastante prejuízo na qualidade de vida da pessoa. Outras causas de dor na frente do quadril:

  • Impacto anterior femoroacetabular, problema comum em esportes que envolvem a rotação do quadril, como tênis, golfe, futebol e ballet.
  • Pubalgia: Um termo bem amplo e que significa dor no púbis.

Dor na lateral da coxa

Existem dois principais motivos de dor nessa região, e é muito comum que eles ocorram simultaneamente:

  • O primeiro é a famosa bursite, que é a inflamação da bursa. Uma bolsa cheia de líquido, que nós temos em várias articulações do corpo.
  • O segundo é uma inflamação da parte muscular e dos tendões da região do quadril, a também famosa tendinite. Os dois problemas são muito comuns, uma vez que a musculatura do quadril é utilizada o tempo todo para atividades cotidianas, como ficar em pé, caminhar e subir e descer escadas.

Dor perto da coluna

A dor nessa região pode decorrer de problemas no quadril, na coluna e, às vezes, de ambos. As principais causas são:

  • Bursite e tendinite, que também podem ocorrer em bursas e músculos localizados nessa região, semelhante a dor lateral 
  • Síndrome do piriforme, uma doença em que o nervo ciático é comprimido por um músculo que se chama piriforme 
  • Impacto na região posterior do quadril, nesse caso, o osso da coxa bate naquele osso que fica bem atrás do bumbum, o ísquio, também podendo causar dor e inflamação nessa região.
  • Dor na articulação sacro ilíaca: inflamação ou um desbalanço mecânico causado por má postura ou fraqueza muscular e que acomete a articulação entre a bacia e a coluna.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre o tema: 

  1. Dor na frente do quadril
  2. Dor na lateral da coxa 
  3. Dor perto da coluna

Para saber mais, assista ao vídeo no canal Doutor Ajuda.

Copiar o texto
22/11/2021 15:00h

A assistente social Leticia Andrade dá mais detalhes sobre o assunto

Baixar áudioBaixar áudio

Você sabe como conseguir remédio mais barato ou de graça pelo SUS? A assistente social Leticia Andrade dá mais detalhes sobre o assunto.

O Brasil desde 1988 possui uma política específica sobre medicação, o objetivo com isso é garantir a necessária segurança, qualidade e eficácia dos medicamentos. Existem duas maneiras de você conseguir ter acesso a esses medicamentos de maneira gratuita ou com o custo bem reduzido.

Onde conseguir medicamentos gratuitamente

  • Postos de saúde: Disponibilizam alguns medicamentos de maneira gratuita.
  • Farmácias Populares: Oferecem grande desconto nos valores das medicações. 

O que é preciso para conseguir ter acesso aos medicamentos gratuitos

  • Documento de identificação com foto
  • Receita médica básica contendo nome genérico da medicação, dados do médico, endereço da unidade de saúde de onde foi atendido e data da prescrição médica.

Caso o seu remédio não seja disponibilizado na lista de medicamentos das farmácias populares, não pare por aí. Procure saber quais são as opções de medicações que estão disponíveis, liste-as e retorne com seu médico para que seja verificada a possibilidade de substituir por outra medicação que faça parte do programa.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  • Remédios gratuitos ou mais baratos no SUS
  • Como conseguir medicamentos

Para saber mais, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda. 

Copiar o texto
Dr. Ajuda
19/11/2021 15:00h

A Oncologista Dra. Allyne Queiroz dá mais detalhes sobre câncer de próstata hereditário

Baixar áudioBaixar áudio

Você tem familiares com câncer de próstata? Sabe se é hereditário? A Oncologista Dra. Allyne Queiroz dá mais detalhes sobre a doença.  

A maior parte dos cânceres de próstata é esporádica, ou seja, acontece devido ao envelhecimento do corpo. No entanto, nos casos de câncer hereditário, a pessoa já nasce com esse defeito genético que é passado pelos pais, fazendo com que ela desenvolva câncer geralmente em idades mais jovens.

O câncer de próstata hereditário corresponde a 5-10% dos casos de câncer. Essas alterações herdadas podem passar de pai para filho e também para filhas. Na verdade, todos seus parentes de primeiro grau (irmãos, pais e filhos) estão sob risco, e este risco é de 50%.

Quais famílias devem suspeitar de Câncer de próstata hereditário?

  • Família em que há presença de vários casos de câncer de próstata (mais de três casos).
  • Quando você ou algum familiar apresenta caso de câncer de próstata avançado (chamado de metastático) logo ao diagnóstico.
  • Quando, além de casos de câncer próstata na família, você também tem casos de câncer de mama e ovário.
  • Famílias de judeus Ashkenazi.
  • Familiares próximos já com o diagnóstico de síndrome de câncer de próstata hereditário.

Nesses casos, o que fazer?

  • Exames preventivos: os homens, devem iniciar as visitas ao urologista mais cedo que o habitual, por volta dos 40 anos. Além disso, terá que realizar outros exames preventivos para diagnóstico precoce de tumores de pâncreas, de intestino, dentre outros.
  • Teste genético: um exame simples, feito através de uma coleta de sangue (como um hemograma) ou de maneira mais simples ainda, com uma coleta de saliva. 

Portanto se a sua família apresentar vários casos de câncer de próstata ou ao menos um caso de câncer de próstata jovem, converse com seu médico para chegar ao melhor diagnóstico e ao melhor tratamento.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema: 

  • O que é e fatores de risco.
  • Rastreamento e diagnóstico da síndrome hereditária.

Para saber mais, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda.

Copiar o texto
17/11/2021 17:15h

Caso se mantenha o nível de acréscimo por emendas do parlamento para o próximo ano, o total de recursos a serem repassados aos municípios brasileiros deve chegar a mais de R$ 245 bilhões

O cidadão mora no município, localizado num estado, que faz parte da União. Mas a vida real acontece no município. Pensando nisso e com o encerramento deste exercício no horizonte, vamos tentar prever, ao menos em parte, como será a vida destes entes no próximo ano, em relação aos recursos repassados pelo governo federal.

Este ano, até outubro, já foram transferidos aos municípios cerca de R$ 143,5 bilhões, entre royalties, transferências constitucionais e legais, além das transferências voluntárias. No Projeto de Lei Orçamentária para 2022 está previsto um total de mais de R$ 217,5 bilhões a serem repassados aos municípios, somadas todas as modalidades de transferências.

Tradicionalmente esse valor é acrescido pelas emendas parlamentares individuais e coletivas. Os valores previstos no projeto de lei do orçamento para 2021 foram acrescidos cerca de 13% em comparação ao projeto enviado pelo Poder Executivo.

O período para a apresentação de emendas orçamentárias para o exercício de 2022 encerra-se nesta quarta-feira, dia 17, após ser prorrogado. E para o próximo ano, ainda teremos os recursos provenientes da recém promulgada Emenda Constitucional 112, de 2021, que prevê a destinação de mais 1% da arrecadação do IR e do IPI para os entes municipais.

Caso se mantenha o nível de acréscimo por emendas do parlamento para o próximo ano, o total de recursos deve chegar a mais de R$ 245 bilhões. E ainda não estão inseridos os valores provenientes da EMC 112/2021, o que deve turbinar um pouco mais esses valores.

A Emenda Constitucional 112/2021 prevê, tal como acontece em junho, a destinação de 1% do produto da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) no primeiro decêndio do mês de setembro de cada ano. Esse percentual será alcançado de maneira escalonada, sendo: 0,25%, em 2022 e 2023; 0,5%; em 2024; e 1%, a partir de 2025.

Se tivesse seus efeitos para este exercício, a PEC teria injetado mais R$ 1,36 bilhão aproximadamente. Projetando a arrecadação em seu atual curso crescente e aplicando um crescimento de 30%, em 2022, a primeira parcela da PEC 112 representará mais de R$ 1,76 bilhões aos cofres municipais.

Tal projeção, caso seja confirmada, representará um acréscimo médio de R$ 5,2 milhões para os municípios das capitais, cerca de R$ 77 mil para os municípios da primeira faixa e valores entre R$ 600 mil e R$ 700 mil, aproximadamente, para os municípios das faixas maiores. 

Uma importante ajuda em uma época de inflação crescente que impacta diretamente a vida dos gestores municipais nas aquisições de seus insumos. A conferir.

Eu sou Cesar Lima, e esse é o Blog “Por dentro do Orçamento Público”.

Copiar o texto
17/11/2021 16:00h

Nesta edição, Érica Ferraz explica dá dicas de como ser mais simpático

Baixar áudio

Hoje vamos dar algumas dicas de como podemos, com uma comunicação positiva, nos tornarmos mais simpáticos, mais leves e mais amigáveis com as pessoas. 

Lembrando sempre daqueles três verbos de todo bom comunicador: observar, ouvir e perguntar.

Seguindo estes verbos, o segundo passo é a autorresponsabilidade. Se o outro não me entende, eu sou o responsável. Eu devo mudar a minha linguagem, a minha estratégia para chegar até o outro e não o contrário. 

Dicas de como ser mais simpático:

  1. Sorria. Comece qualquer conversa, reunião, encontro com um sorriso. Neurologicamente, há estudos que mostram que o sorriso aproxima as pessoas e o gelo começa a derreter. Sorria mais sempre.
  2. Pergunte o nome da pessoa, fale em alguns momentos durante a conversa e lembre-se dele. Em outros momentos, o fato de você lembrar o nome vai demonstrar uma consideração e a pessoa vai se lembrar disso.
  3. Deixe as pessoas falarem mais. Comunicação é mais sobre o outro que sobre você. 
  4. Mostre interesse pelas pessoas aprendendo a ouvir mais.
  5. Mexa a cabeça, faça sinais de concordância e interesse. Com a linguagem corporal e seu sorriso você consegue mostrar que está realmente interessado na outra pessoa.
  6. Veja o assunto que está sendo abordado e converse sobre o assunto que interessa ao outro. 

Todos nós gostamos de atenção e de nos sentirmos importantes para alguém. Estas são algumas dicas para te ajudar a se aproximar mais das pessoas.

EMISSORAS DE RÁDIO: Comunicador, disponibilizamos o áudio deste podcast para download. Utilize e diversifique sua programação!    

Quer saber mais? Aperte o play e escute o podcast Comunicação Positiva!

Copiar o texto
Dr. Ajuda
17/11/2021 03:00h

O endocrinologista Dr. Bruno Halpern dá mais detalhes sobre cirurgia bariátrica

Baixar áudio

A Cirurgia Bariátrica quando bem indicada, está associada a redução da mortalidade, aumento da expectativa de vida e redução de doenças como Diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e até mesmo câncer. 

Atualmente existe um enorme preconceito em relação à cirurgia bariátrica, achando que é algo mutilante, usado como último recurso entre outras coisas, porém existem diversas evidências científicas que nos mostram muitos benefícios. O endocrinologista Dr. Bruno Halpern dá mais detalhes sobre cirurgia bariátrica.

A cirurgia não é indicada para todos!  Ela esta indicada para aqueles com índice de massa corpórea (IMC) > 40 OU IMC > 35 associados a outras doenças, além disso outros fatores são avaliados. No geral é recomendado o tratamento clínico sem sucesso por no mínimo 2 anos. 

Importante ressaltar que a cirurgia exige cuidados a longo prazo, muitas vezes é necessário a utilização de polivitamínicos, monitoramento da parte óssea, peso, pois existem casos da recuperação de peso mesmo após o procedimento ter sido realizado. 

Se você possui uma indicação clínica para a realização deste procedimento, discuta com o seu médico a respeito, coloque as opções na mesa para que a decisão final seja baseada em ciência e não em tabus e preconceitos.

Para saber mais sobre o assunto, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda.

Copiar o texto
Brasil 61