Dr. Ajuda!

27/09/2021 14:00h

A psiquiatra Dra Karina Calderoni dá mais detalhes sobre essa doença

Baixar áudioBaixar áudio

A síndrome do pânico é um transtorno em que acontecem crises repentinas e intensas de ansiedade, associada a sintomas físicos e uma forte sensação de medo ou desespero. Durante um ataque de pânico, são disparados no cérebro vários neurotransmissores envolvidos no que chamamos de reação de luta ou fuga. Na crise de pânico, tudo isso acontece sem que a pessoa esteja diante de nenhum perigo ou ameaça e pode ocorrer em qualquer situação, de forma repentina e inesperada. Além de todos os sintomas físicos, a pessoa sente um medo intenso, um desespero e uma sensação de perda de controle, de que vai enlouquecer ou morrer. Por não saber o que está acontecendo, geralmente a pessoa acredita estar tendo um ataque cardíaco ou um AVC.

Quando essas crises são frequentes e sem um fator desencadeante, estamos diante de uma síndrome ou transtorno do pânico. Com o tempo, a pessoa passa a ter medo de sofrer essas crises em locais nos quais sejam difíceis o socorro ou a fuga e passa a ter um comportamento de evitar tais situações. E, com isso, o repertório de atividades da pessoa vai ficando cada vez mais restrito até o momento que passa a não mais ter coragem de sair de casa.

Confira dicas para lidar com a crise de pânico:

  • Quando começar a se sentir mal, percebendo que é uma crise de pânico, procure se possível um local mais tranquilo em que você possa se sentar, respirar fundo e tentar controlar os pensamentos, racionalizando sobre os sintomas.
  • Puxe o ar lentamente contando até 4, segure contando até 2, solte o ar contando até 4 e segure no vazio contando até 2. Repita esse processo até sentir que controlou a hiperventilação.
  • Foque a sua atenção em alguma coisa, pode ser um objeto, pode ser uma textura ou cheiro conhecido e pode ser a própria respiração.
  • Outra alternativa é você imaginar que está em um lugar que te traga felicidade, calma. 

Cada pessoa irá encontrar uma técnica com a qual se identifique mais. O importante é sempre lembrar que é algo passageiro e que tem tratamento. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  1. O que é?
  2. Como lidar?

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
24/09/2021 13:30h

O ortopedista Dr Rodrigo Calil Abdo dá mais detalhes sobre esse tema

Baixar áudioBaixar áudio

É importante lembrar que o joelho é uma articulação de carga, grande parte das causas de dor nesse local tem relação com uma sobrecarga nessa articulação. Algumas coisas que você tem que identificar são como e onde é a dor? Quando e como ela começou? O que piora a dor? O joelho incha? Teve algum trauma? Vamos listar abaixo possíveis causas em dor no joelho:

Dores sem traumas:

  • Dor na infância: existe uma patologia bem comum da infância causada por excesso de atividade física associada a desequilíbrio muscular causando uma tração excessiva na inserção do ligamento patelar na tíbia causando esse quadro.
  • Dor na parte da frente do joelho também  é uma queixa muito frequente  e geralmente está relacionada a uma sobrecarga dessa região.
  • Problemas antigos do joelho: alguém que já teve problema no joelho devido uma batida, cirurgia, infecção, no passado  e anos mais tarde começaram a ter dor que foi piorando com o passar do tempo, é mais comum que estejamos diante da Artrose de joelho que é um desgaste progressivo da cartilagem do joelho e ocorre com frequência em pessoas com mais de 65 anos.

Dores após algum trauma:

É muito importante saber que tanto as batidas quanto as torções de joelho podem causar lesões muito mais graves e urgentes como a fratura quando o osso quebra e a luxação. Por isso, você deve procurar o Pronto Socorro quando:

  • A batida ou a torção for muito forte 
  • O joelho fica muito inchado e você não consegue nem mexer nem colocar o pé no chão
  • Existe alguma deformidade no joelho 
  • O pé está ficando escuro ou formigando 
  • Infecções no joelho o que chamamos de Pioartrites. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre os seguintes temas:

  1. Dor anterior no joelho
  2. Osteoartrose de joelho

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
22/09/2021 13:00h

O cardiologista Dr Carlos Pedrotti explica como medir a pressão em casa

Baixar áudioBaixar áudio

O nome correto do aparelho de pressão é “ESFIGMOMANÔMETRO”. Os médicos o apelidam de “esfigmo”. Existem várias opções automáticas disponíveis em qualquer farmácia, eles estão mais confiáveis e, os preços, mais acessíveis.

Não é todo mundo que precisa ter um “esfigmo” em casa. Mas se você tem pressão alta, problemas cardíacos ou alguma doença crônica, pode ser interessante. Em relação à marca e modelo, depende de cada bolso, mas o mais importante é verificar se há o selo do Inmetro, que garante a confiabilidade.

  • Punho ou braço? Qual o melhor?

Essa resposta é fácil: o de braço é geralmente o mais recomendado. Mas para isso é importante ter atenção se o tamanho da braçadeira está adequado ao diâmetro do seu braço.

  • E com qual frequência devo medir?

Isso vai depender de em qual estágio do tratamento cada um está. Quando o diagnóstico de pressão alta já está consolidado e o tratamento estável, uma medida a cada 15 dias está de bom tamanho. Mas nos casos em que ainda existe dúvida diagnóstica ou houve mudança no tratamento, são duas medidas de manhã e duas medidas de noite. Meça a pressão logo após acordar, antes mesmo de tomar o medicamento ou do café-da-manhã e repita a medida após 2 minutos. É importante descansar para que os vasos voltem ao normal. Meça de novo logo antes do jantar, também repetindo após 2 minutos. Repita por 5 dias e anote todos os valores, assim você terá um ótimo panorama geral da sua pressão, ajudando muito na tomada de decisão sobre seu tratamento. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre os seguintes temas:

  1. Como medir a pressão?
  2. Frequência para medir

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
20/09/2021 15:50h

O otorrinolaringologista Dr George do Lago Pinheiro dá mais detalhes sobre a doença

Baixar áudioBaixar áudio

O ronco nada mais é do que uma manifestação sonora da vibração de estruturas, como exemplo, músculos e mucosas da garganta ou obstruções na região da rinofaringe e cerca de 50% da população de meia idade ronca. É comum o roncador buscar ajuda profissional devido o desconforto social que sofre. Roncar não é normal e pode ter associação com problemas sérios de saúde como a apneia obstrutiva do sono. 

Há diversos tipos de ronco, com características diferentes que depende da intensidade e da frequência em que ocorre, mas mesmo aquele ronco de leve intensidade não exclui problemas relacionados ao sono e precisa de avaliação médica. Além do mais, algumas situações podem intensificar o som do ronco: uso de bebidas alcóolicas, dormir de barriga para cima, obesidade ou mesmo problemas no nariz como a rinite. 

Se para os adultos esse cenário é preocupante, para as crianças roncar tem impacto ainda maior na saúde. A grande maioria dos casos de ronco na infância é causada pelo crescimento das amígdalas e da adenoide, ocasionando em:

  • Cansaço
  • Agitação
  • Dificuldade de concentração
  • Respiração pela boca

O ronco tem tratamento e vai depender da presença ou não da apneia e das alterações observadas em cada indivíduo. Converse com seu médico, de preferência um médico do sono. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre os seguintes temas:

  1. Roncar é normal?
  2. Problemas associados e tratamento

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o ronco. 

Copiar o texto
17/09/2021 17:50h

O cirurgião geral Dr. Diogo Garcia explica os tipos de hérnia

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

A hérnia abdominal é a passagem parcial ou total de um órgão de dentro do abdome através de uma fraqueza na musculatura abdominal. Existem diferentes pontos no abdome que podem ter essa fraqueza e por isso diferentes tipos de hérnias abdominais dependendo da região em que elas aparecem. São as mais comuns:

  • Hérnia inguinal: Aparece na região da virilha e pode descer para o saco escrotal
  • Hérnia umbilical: Localizada no umbigo
  • Hérnia epigástrica: localizada entre o umbigo e o inicio das costelas na linha que divide o abdome 
  • Hérnia femoral: Mais comum em mulheres, também aparece na virilha, mas um pouco abaixo do que as inguinais
  • Hérnia incisional: Aparece no local de uma cicatriz de cirurgia anterior. 

Em todos os casos de hérnia o principal sintoma é o abaulamento na região da hérnia relacionado com esforço. Você deve ficar atento as situações de gravidade onde pode apresentar:

  • Dor na hérnia – Pode indicar encarceramento e sofrimento do intestino preso
  • Vermelhidão local – Também indica sofrimento do conteúdo da hérnia
  • Distensão abdominal – O intestino preso na hérnia pode interromper a digestão e causar acúmulo de gases dentro do intestino deixando a barriga distendida.

É importante que ao suspeitar da doença, procure um médico.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre os seguintes temas:

  1. O que é?
  2. Quadro clinico 
  3. Complicações

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre hérnia.

Copiar o texto
13/09/2021 15:00h

O oftalmologista Dr. Fabricio Witzel de Medeiros dá mais detalhes sobre a doença

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Você já ficou com o olho vermelho e achou que poderia ser conjuntivite? O oftalmologista Dr. Fabricio Witzel de Medeiros dá mais detalhes sobre a doença.

A conjuntivite, é a inflamação da membrana que cobre a esclera (parte branca dos olhos) e é uma das causas mais comuns de olho vermelho no pronto socorro de oftalmologia. 

Existem diversas causas de conjuntivite, como por exemplo: 

  • Conjuntivite bacteriana caracterizada por secreção abundante e evolução rápida. São comuns em usuários de lente de contato, que por vezes não fazem o cuidado adequado. 
  • Conjuntivite neonatal pela clamídia tracomatis.
  • Conjuntivite gonocócica que aparece nos pacientes portadores de gonorreia
  • Conjuntivites virais, que geralmente estão associadas ao Adenovírus, que é um vírus que também causa a gripe. Outro tipo de vírus é o vírus do herpes e recentemente o coronavírus. 
  • Conjuntivites alérgicas, que acomete principalmente crianças e adultos que carregam desde pequenos outros quadros de alergia, como asma e dermatite atópica. Um sintoma que chama atenção é a coceira intensa. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre os seguintes temas:  

  1. O que é conjuntivite e prevalência
  2. Conjuntivite bacteariana
  3. Outras causas de conjuntivite

Para saber mais sobre essa e outras doenças, acompanhe o canal do Dr. Ajuda no Youtube. 

Copiar o texto
09/09/2021 14:15h

A patologista Dra. Katia Leite dá mais detalhes sobre a doença

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Você conhece alguém que tem o diagnóstico de Câncer, mas não entende muito bem o que significa isso? Ser informado sobre o diagnóstico de Câncer não é uma experiência fácil.

Descubra com o Dr. Ajuda mais informações sobre câncer. A patologista Dra. Katia Leite dá mais detalhes dessa doença.

É importante que além de você perguntar ao médico qual o nome da sua doença, estar ciente também de todos os detalhes que são importantes para que uma melhor tomada de decisão ocorra. 

Por isso você deve perguntar:

  1. O órgão de origem (É Câncer do que?)
  2. A agressividade
  3. Qual a extensão da sua sua doença?

O importante é entender o seu diagnóstico!

Sabendo o máximo de informações sobre a doença você terá uma noção maior sobre como ela irá se comportar, qual o melhor tratamento melhorando assim a perspectiva do que você ou um dos seus familiares deverá enfrentar no futuro.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre os seguintes temas: 

  • Diagnóstico
  • Tumor maligno
  • Hereditariedade 

Para saber mais, assista ao vídeo sobre Câncer no canal do Dr. Ajuda no Youtube.

Copiar o texto
02/09/2021 10:45h

Nesta edição do Dr. Ajuda, o Psiquiatra Douglas Calderoni dá mais detalhes sobre a doença

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Você está muito sobrecarregado ultimamente? Trabalha demais e tem muitas responsabilidades? Anda se sentindo cansado e sem energia, com dores de cabeça ou no corpo? Você pode estar sofrendo de Burnout ou Síndrome do esgotamento profissional.

O Psiquiatra Douglas Calderoni dá mais detalhes sobre a Síndrome de Burnout.

A síndrome tem como principal característica o estado de tensão emocional e estresse crônico provocado por condições de trabalho físicas, emocionais e psicológicas desgastantes.

Os principais sintomas são:

  • nervosismo, deixando a pessoa mais irritada que o normal
  • cansaço excessivo físico e mental, prostração, sem energia para fazer outras atividades.
  • alterações no sono e apetite.
  • Tendência ao isolamento

O diagnóstico da síndrome de Burnout é realizado por profissional de saúde mental, seja ele psicólogo ou psiquiatra, a partir dos sintomas apresentados. Se você apresentou um desses sintomas, não deixe de procurar um médico Psiquiatra. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre os seguintes temas: 

  • o que é Sídrome de Burnout
  • sintomas
  • diagnóstico e como evitar

Para saber mais, assista ao vídeo sobre Síndrome de Burnout no canal do Dr. Ajuda no Youtube.

Copiar o texto
24/08/2021 17:24h

Nesta edição do Dr. Ajuda, a gastroenterologista Maira Marzinotto dá mais detalhes sobre problema

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

O que são gases? Você já teve gases em excesso? Sabe o que causa esse problema? Quando uma dor de barriga pode ser causada por gases?

Descubram no podcast do Dr Ajuda mais informações sobre Gases ou flatulência. A gastroenterologista Maira Marzinotto dá mais detalhes dessa doença.

Chamamos de gases (ou flatos) o ar que se acumula no sistema digestivo e que pode ser liberado através do ânus. O acumulo de gases é conhecido por flatulência.

Quais são os sintomas de gases em excesso?

Eliminar mais gases que o normal e desconforto abdominal constante, com dor em cólica.

Quais são as principais causas?

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre os seguintes temas:

  • O que são gases;
  • Principais causas;
  • Outras causas.

Copiar o texto
03/08/2021 16:05h

Nesta edição do Dr. Ajuda, a dermatologista Natasha F. Pecora explica as causas das manchas vermelhas em crianças.

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

O seu filho tem ou já teve manchas vermelhas no corpo? Isso te preocupa?

Descubra com o Dr. Ajuda mais informações sobre manchas vermelhas na pele de crianças.

A dermatologista Natasha Pecora dá mais detalhes dessa doença.

Nesta edição, você pode baixar 4 áudios sobre as temáticas:

  • Dermatite atópica;
  • Prevenção à dermatite atópica;
  • Viroses;
  • Urticária.

Você também pode conferir a íntegra do vídeo, no canal de YouTube do Dr. Ajuda abaixo.

Copiar o texto
Brasil 61