Saneamento

14/01/2022 18:29h

Foram investidos R$ 10,6 bilhões, que permitiram a concretização de projetos históricos, como a conclusão das obras físicas do Projeto de Integração do Rio São Francisco, após 13 anos de espera

Baixar áudio

Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) segue firme na missão de corrigir as desigualdades regionais para garantir aos mais necessitados oportunidades para melhorar suas vidas e promover o desenvolvimento regional e produtivo. O MDR finalizou o ano de 2021 com 5,5 mil obras e projetos entregues à população em todas as regiões do país, envolvendo ações de pequeno, médio e grande porte. Com investimento federal de R$ 10,6 bilhões, incluindo Orçamento Geral da União e financiamentos, as ações da Pasta geraram 700 mil empregos diretos e indiretos e permitiram a concretização de intervenções históricas, como a conclusão das obras físicas do Projeto de Integração do Rio São Francisco, após 13 anos de espera.

Confira imagens de algumas das entregas do MDR que marcaram o ano de 2021 

De janeiro a novembro, o MDR também entregou as chaves de mais de 345,6 mil moradias, beneficiando 1,4 milhão de pessoas em todo o país. Neste período, ainda foram concluídas 3,5 mil obras e projetos de mobilidade, irrigação, desenvolvimento regional e urbano, como corredores de ônibus, acessibilidade, ciclovias, pavimentação, recapeamentos, bueiros e construção ou recuperação de pontes e praças. No saneamento, foram 138 obras e projetos concluídos nas áreas de abastecimento de água, tratamento de esgoto, saneamento integrado, urbanização e drenagem de águas pluviais, beneficiando 753 mil famílias em 23 estados. Em 2021, também foram pagos R$ 333 milhões para apoiar cerca de 500 municípios afetados por desastres naturais, com ações de socorro, assistência, restabelecimento e reconstrução de infraestruturas danificadas. Já na área de segurança hídrica, a Pasta finalizou o ano com 61 obras e projetos entregues, que garantirão segurança hídrica a 14,5 milhões de cidadãos.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, reforçou o trabalho do Governo Federal e o papel do MDR em reduzir as desigualdades regionais. "Esse é o trabalho que estamos fazendo aqui no Ministério do Desenvolvimento Regional, enfrentando as dificuldades que existem no nosso Brasil, apresentando soluções para problemas complexos e buscando uma parceria permanente com a sociedade brasileira para interpretar o sentimento de todos aqueles que fazem esse enorme território chamado Brasil", avalia Marinho. 

Compromisso na garantia de água

A partir do compromisso federal de levar segurança hídrica à população mais vulnerável, o Governo Federal inaugurou, durante a Jornada das Águas, o último trecho do canal do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Com isso, após 13 anos desde o início do empreendimento, as obras físicas necessárias para garantir o caminho das águas dos dois eixos (Leste e Norte) estão concluídas, restando apenas obras complementares.

“Foram várias promessas de conclusão da transposição em governos anteriores, mas essa obra era prioridade deste governo e isso possibilitou a finalização do último trecho do Eixo Norte, que entregamos em outubro do ano passado”, defende Marinho. “Levamos a água do Eixo Norte ao Ceará, Paraíba e ela chegará em breve no Rio Grande do Norte”, completa o ministro

Mais moradia e dignidade

Empenhado em combater o déficit habitacional, o MDR fechou o ano de 2021 com mais de 345 mil moradias aos brasileiros e ultrapassou a marca de mais de 1,2 milhão de moradias entregues desde 2019, beneficiando mais de 4 milhões de pessoas, que passaram a ter acesso à casa própria. “Em 2021, participei de centenas de entregas de moradias. É um momento especial, porque dá significado a nossa missão neste ministério, que é de melhorar a vida do brasileiro. Sabemos que entregamos muito mais do que uma casa. Estamos entregando dignidade, cidadania e respeito”, avalia Marinho.

Marco do Saneamento 

Os leilões da Cedae (blocos 1, 2 e 4)AmapáCedae (bloco 3) e Alagoas (blocos B e C) foram responsáveis pela contratação de R$ 37,6  bilhões de investimentos para o setor, com potencial de atender mais de 15 milhões de pessoas com água e esgoto tratados. “Nosso maior volume de investimentos ao longo do ano veio dos resultados obtidos com os quatro leilões realizados. E esses recursos só estão disponíveis para os estados graças ao novo Marco Legal do Saneamento que é a maior conquista para o setor”, indica o ministro. O Marco Legal do Saneamento completou um ano de sanção em 15 de julho de 2021.

Além disso, com os investimentos de R$ 2,1 bilhões promovidos pelo MDR no setor de saneamento, foram realizadas ações de abastecimento de água, tratamento de esgoto, saneamento integrado, urbanização e drenagem de águas pluviais que totalizam 138 obras e projetos concluídos em 2021. “Esse é nosso compromisso: atacar a pior e a mais evidente tragédia ambiental que nosso país enfrenta, que é a falta do tratamento de esgoto e a falta de água tratada para milhões de brasileiros. Vamos levar dignidade, cidadania, esperança e saúde para uma grande parte dos brasileiros que estão à margem dessa situação”, garante Marinho.

Apoio nos desastres naturais 

Ao longo do ano, o MDR, por meio da Defesa Civil Nacional, promoveu uma série de ações nos estados afetados por desastres naturais, como chuvas intensas ou estiagem. Foram quase R$ 333 milhões destinados ao apoio de aproximadamente 500 municípios para ações de resposta e restabelecimento e reconstrução das cidades.

Desde o fim de novembro, por exemplo, principalmente nos estados da Bahia e Minas Gerais, o MDR tem trabalhado no reconhecimento federal de situação de emergência ou calamidade pública, liberação de recursos emergenciais, apoio técnico e articulação com outros órgãos federais para apoiar as localidades. Além disso, o ministro Rogério Marinho esteve duas vezes na Bahia e uma em Minas Gerais para sobrevoar as áreas afetadas e se reunir com gestores locais para tratar das demandas de apoio. “Estamos levando todo o suporte às regiões atingidas pelas fortes chuvas, orientando prefeitos a enviarem as solicitações de recursos e oferecendo apoio técnico para o levantamento dos estragos. Queremos agilizar a liberação do dinheiro para restabelecimento de serviços e, posteriormente, para reconstrução da infraestrutura afetada”, afirma o ministro.

Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano

Uma das principais entregas neste setor foi a inauguração parcial do Bus Rapid Transit (BRT) de Campinas (SP), que deve beneficiar, no total, 425 mil pessoas, o equivalente a 40% da população da cidade. Ao todo, a elaboração dos projetos e a construção dos Corredores Ouro Verde, Campo Grande e de Interligação Perimetral contaram com investimentos de R$ 458 milhões, sendo R$ 98,8 milhões da União, R$ 197 milhões correspondem a financiamentos com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e R$ 162,3 milhões são da Prefeitura.

Também foi realizada a entrega da Estação Bruno Covas, que faz parte da linha 9- Esmeralda. A estação beneficia, principalmente, os moradores dos bairros de Grajaú, Estrada dos Mendes, Varginha, Vila Natal, Jardim Icaraí, Jardim São Bernardo e Conjunto Residencial Palmares.

Além disso, foram entregues 3,5 mil obras de infraestrutura urbana e mobilidade em todo o País, investidos cerca de R$ 3,5 bilhões, instituído o Fórum Consultivo de Mobilidade Urbana e iniciadas as obras da 2ª etapa para o trecho Garibaldi - Cidade Jardim do BRT de Salvador.

Ampliação de parceria com o setor privado

Para adequar a estrutura do MDR à mudança da lógica da carteira de projetos que tem sido implementada pelo Ministério, foi criada, em agosto do ano passado, a Secretaria de Fomento e Parcerias com o Setor Privado. O objetivo é a atração de investimentos do setor privado para viabilizar que as políticas públicas atinjam a população e, também, modernizar as ações da Pasta por meio da captação de recursos de novas fontes para a implementação de políticas públicas.

Além disso, foi criado o Fundo de Desenvolvimento da Infraestrutura Regional Sustentável para auxiliar na estruturação de projetos de concessão e de parcerias público-privadas (PPPs) para as áreas consideradas prioritárias, como saneamento básico, mobilidade urbana, iluminação pública e gestão de resíduos.

O Fundo foi criado a partir da reestruturação do Fundo Garantidor de Infraestrutura (FGIE), permitindo a utilização do saldo atualmente disponível, que é de R$ 750 milhões. “Esse é um valor expressivo, porque o projeto, geralmente, representa 2% a 5% do valor do investimento total. A cada R$ 1 milhão investidos pelo poder público em projetos, nós temos a expectativa de retorno da ordem de R$ 100 milhões em investimentos”, explica Marinho. “Por isso é tão importante termos um banco de projetos qualificado. O novo Fundo virá contribuir com apoio financeiro e técnico para que projetos de qualidade possam chegar ao mercado, potencializando, cada vez mais, a estruturação de concessões e parcerias com o setor privado, tanto da União quanto dos estados e dos municípios”, finaliza.

Projetos com foco no ambiental 

Também em 2021 ocorreu pelo ministério a implementação da Estratégia Investimento Verde para o Desenvolvimento Regional, que passará a permitir que agentes públicos e privados alinhem novos projetos de infraestrutura do MDR com foco ambiental, social e de governança (ASG).

Neste primeiro momento, as ações estão focadas nos setores de saneamento básico e segurança hídrica. A medida vai incentivar a proposição de projetos de acordo com as melhores práticas internacionais, de forma que seja possível trazer investimentos estrangeiros e captar recursos, inclusive no mercado financeiro, via emissão de títulos verdes.

Ainda em novembro, em uma série de agendas na Europa, o MDR assinou acordos de cooperação com Portugal para aperfeiçoar a estruturação de projetos de infraestrutura e a aplicação de critérios ASG, garantindo sustentabilidade aos projetos da Pasta e, principalmente, a indução de novos investimentos privados nos setores de água, esgoto e resíduos sólidos.

Copiar o texto
29/12/2021 20:39h

Após leilão nesta quarta-feira (29), Cedae vai receber o montante para a melhoria dos serviços em 21 municípios do estado

Baixar áudio

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), vai receber, em 35 anos, cerca de R$ 4,7 bilhões em investimentos para a melhoria dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário de 21 municípios do estado do Rio de Janeiro, incluindo bairros da Zona Oeste da capital. 

Nesta quarta-feira (29), foi realizado na B3, em São Paulo, o leilão para a concessão regionalizada.

A concessionária vencedora vai prestar serviços de distribuição de água e coleta de esgoto para 2,7 milhões de pessoas. O bloco formado por 20 municípios do interior, além de parte dos bairros da Zona Oeste carioca, foi arrematado por R$ 2,2 bilhões.

As metas propostas envolvem a universalização do serviço de água e o acesso à rede de esgoto para a população até 2033, como estipulado pelo Marco Legal doSaneamento. Será considerada vencedora a proposta de maior outorga, observada a quantia mínima de R$ 1,16 bilhão.

No primeiro leilão da Cedae, realizado em abril, foram arrematados os Blocos 1, 2 e 4, com um valor 134% superior ao mínimo estipulado no edital, com arrecadação de R$ 22,6 bilhões.
 

Copiar o texto
29/12/2021 19:57h

Recursos serão financiados pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e beneficiarão de forma indireta toda a população da capital fluminense

Baixar áudio

Para alavancar o índice em mais de 10% na coleta e tratamento da rede de esgoto da cidade do Rio de Janeiro, beneficiando indiretamente toda a população do estado, o Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), autorizou o financiamento de R$ 712,3 milhões para obras na implantação do sistema de esgotamento sanitário da cidade. Em contrapartida, o governo estadual vai investir R$ 37,5 milhões.

“Estar aqui hoje para nós é reafirmar um compromisso de que este Governo Federal tem em atacar a pior e a mais evidente tragédia ambiental que nosso país enfrenta, que é a falta do tratamento de esgoto e a falta de água tratada para milhões de brasileiros. Vamos levar dignidade, cidadania, esperança e saúde para uma grande parte dos brasileiros que estão à margem dessa situação” afirmou o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

O empreendimento contará com redes coletoras, estações elevatórias, estações de tratamento e ligações prediais na Área de Planejamento 5 (AP-5), que é composto por 22 bairros: Deodoro, Vila Militar, Campo dos Afonsos, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Padre Miguel, Realengo, Senador Camará, Gericinó, Bangu, Vila Kennedy, Paciência, Santíssimo, Senador Vasconcelos, Campo Grande, Cosmos, Inhoaíba, Paciência, Sepetiba, Pedra de Guaratiba, Guaratiba e Barra de Guaratiba.

O planejamento prevê a execução de obras em parte dos Sistemas Sarapuí, Campinho, Cação Vermelho e Rio do Ponto. Além disso, será implantada uma estação de tratamento de esgoto em Campo Grande e ampliação de duas estações de tratamento: Bangu e Sepetiba. Em Bangu, foi incluído um sistema de secagem solar de iodo.

Atualmente, a coleta da rede de esgoto do município beneficia 51% da população do AP-5, ou seja, 978 mil pessoas. Com os investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), esse índice subirá para 63%, aumentando para 1,2 milhão de habitantes atendidos com uma rede de esgoto em suas residências.
Já o tratamento adequado é fornecido para 66% do esgoto coletado na cidade do Rio de Janeiro, o que representa aproximadamente 645 mil habitantes. Com as melhorias na implantação do sistema de esgotamento sanitário, esse índice subirá para 77% do esgoto coletado, atendendo cerca de 953 mil pessoas.

A partir da publicação da autorização do financiamento, a empresa F.AB. Zona Oeste S/A, que opera nesta região do Rio de Janeiro, firmará contrato com os agentes financeiros Caixa Econômica Federal e BTG Factual. No total, serão investidos R$ 749,8 milhões.

“O saneamento faz parte daqueles itens na vida da pessoa que levam a dignidade, que levam a pessoa a voltar a se sentir importante, que desafoga o sistema de saúde, que fazem com que a gente demonstre que aquela pessoa mais pobre é importante”, reforçou o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro.

Investimentos federais

Desde 2019, o MDR já investiu R$ 7,4 bilhões para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País. Atualmente, a carteira de obras e projetos da Pasta no setor – contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – é de 1.154 empreendimentos, somando um total de R$ 42,4 bilhões, sendo R$ 24,9 bilhões de financiamentos e de R$ 17,5 bilhões de Orçamento Geral da União.
 

Copiar o texto
27/12/2021 19:25h

Ao todo, cerca de 26 mil famílias serão beneficiadas nos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará e Maranhão

Baixar áudio

O Governo Federal vai investir mais de um milhão de reais em obras de saneamento básico nos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará e Maranhão. Ao todo, cerca de 26 mil famílias serão beneficiadas nesses estados. 

Natal, no Rio Grande do Norte, receberá cerca de quinhentos e sessenta mil reais para o sistema integrado nos bairros de Nossa Senhora da Apresentação e Lagoa Azul. 

Já João Pessoa, na Paraíba, vai contar com investimentos de cerca de 220 mil reais para implantação do sistema de esgotamento sanitário nos bairros Valentina Figueiredo e adjacências; Praias do Seixas e Penha; José Américo; Colibris; e Água Fria. 

Ainda no Nordeste, a cidade de Boa Viagem, no Ceará, terá investimentos de quase 180 mil reais para implantação do sistema de esgotamento sanitário nos bairros Centro, Boaviaginha, Vila Azul, Alto do Motor, Alto da Queiroz, Tibiquari, Vila Holanda e Ponte Nova. 

No Maranhão, o valor de quase 110 mil reais será repassado ao município de Buriticupu. O recurso será utilizado para a elaboração de estudo de concepção, projeto básico e executivo para a ampliação do sistema de abastecimento de água e para implantação do sistema de esgotamento sanitário da sede municipal. Ainda no Maranhão, a cidade de Barra Corda, receberá quase cinquenta mil reais para os mesmos fins de Buriticupu. 

O secretário Nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, Pedro Maranhão, destaca que investimentos como esses são importantes para melhorar as condições de vida da população.

A falta de acesso a serviços básicos, como tratamento de água e esgoto, coloca em risco a saúde da população. Por isso, não medimos esforços para alocar recursos que vão permitir a continuidade das obras de saneamento básico. Temos o compromisso de levar mais dignidade, saúde e qualidade ambiental à população brasileira.

No total, o Governo Federal vai repassar mais de cinco milhões de reais para a continuidade de obras de saneamento básico em nove estados do país. 

Para saber mais sobre as ações do Ministério do Desenvolvimento Regional em saneamento básico, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
14/12/2021 19:33h

No total, mais de 107 mil famílias serão beneficiadas e mais de 17 mil empregos serão gerados.

Baixar áudio

O Governo Federal vai repassar cerca de dois milhões e seiscentos mil reais para a continuidade de uma obra de saneamento básico no estado do Paraná.

O recurso será usado em intervenções nas calhas e bacias de amortecimento dos Rios Belém, Pinheirinhos, Água Verde, Pilarzinho e Juvevê, na cidade de Curitiba.

No total, mais de 107 mil famílias serão beneficiadas e mais de 17 mil empregos serão gerados.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destaca a importância de se investir em saneamento básico. Ele também ressalta que concluir as obras em andamento é uma prioridade do Governo Federal.

“Nós sabemos o benefício que o tratamento de água, de esgotos, a canalização adequada dos córregos propicia às cidades. Então, nós estamos fazendo todo o esforço para que não haja nenhuma interrupção do cronograma físico-financeiro dessas obras. Desde a nossa chegada aqui, por orientação do presidente, não tem faltado recursos e nós esperamos brevemente estar concluindo essas obras e que elas sirvam à população."

No total, o Governo Federal vai repassar mais de 150 milhões de reais para a continuidade de obras de saneamento básico no Distrito Federal e em 18 estados do País.

Para saber mais sobre as ações do Ministério do Desenvolvimento Regional em saneamento básico, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
14/12/2021 19:30h

No total, mais de 876 mil famílias serão beneficiadas com as obras e mais de 167 mil empregos serão gerados

Baixar áudio

O Governo Federal vai repassar mais de R$ 150 milhões para a continuidade de obras de saneamento básico no Distrito Federal e em 18 estados do País.

Na Região Nordeste, serão beneficiados os estados da Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Já no Sul, receberão recursos o Paraná, o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. No Sudeste, o repasse irá para o Espírito Santo, Minas Gerais e São Paulo.

No Norte, serão beneficiados os estados do Pará e de Rondônia. E no Centro-Oeste, estão na lista Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

No total, mais de 876 mil famílias serão beneficiadas com as obras e mais de 167 mil empregos serão gerados.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destaca a importância de se investir em saneamento básico. Ele também ressalta que concluir as obras em andamento é uma prioridade do Governo Federal. 

“Nós sabemos o benefício que o tratamento de água, de esgotos, a canalização adequada dos córregos propicia às cidades. Então, nós estamos fazendo todo o esforço para que não haja nenhuma interrupção do cronograma físico-financeiro dessas obras. Desde a nossa chegada aqui, por orientação do presidente, não tem faltado recursos e nós esperamos brevemente estar concluindo essas obras e que elas sirvam à população.”

Desde janeiro deste ano, mais de 450 milhões de reais do Orçamento Geral da União foram repassados pelo MDR para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País. 

Para saber mais sobre as ações do Ministério do Desenvolvimento Regional em saneamento básico, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
14/12/2021 19:20h

No total, quase 4 mil famílias serão beneficiadas e cerca de 3 mil e mais de 800 empregos serão gerados

Baixar áudio

O Governo Federal vai repassar quase dois milhões de reais para a continuidade de uma obra de saneamento básico no estado de Pernambuco.

Os recursos serão usados na complementação da Estação de Tratamento de Esgoto Minerva, que vai atender as cidades de Recife e Olinda. 

No total, quase 4 mil famílias serão beneficiadas e cerca de 3 mil e mais de 800 empregos serão gerados.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destaca a importância de se investir em saneamento básico. Ele também ressalta que concluir as obras em andamento é uma prioridade do Governo Federal.

“Nós sabemos o benefício que o tratamento de água, de esgotos, a canalização adequada dos córregos propicia às cidades. Então, nós estamos fazendo todo o esforço para que não haja nenhuma interrupção do cronograma físico-financeiro dessas obras. Desde a nossa chegada aqui, por orientação do presidente, não tem faltado recursos e nós esperamos brevemente estar concluindo essas obras e que elas sirvam à população

No total, o Governo Federal vai repassar mais de 150 milhões de reais para a continuidade de obras de saneamento básico no Distrito Federal e em 19 estados do País.

Para saber mais sobre as ações do Ministério do Desenvolvimento Regional em saneamento básico, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
14/12/2021 19:04h

No total, mais 35 mil famílias serão beneficiadas e mais de 7 mil empregos serão gerados

Baixar áudio

O Governo Federal vai repassar mais de quatro milhões de reais para a continuidade de duas obras de saneamento básico no estado do Maranhão.

Em São Luís, os recursos serão destinados às obras dos sistemas de esgotamento sanitário Anil, Vinhais e São Francisco. Já em Itapecuru Mirim, o repasse será usado na ampliação do sistema de esgotamento sanitário da cidade.

No total, mais 35 mil famílias serão beneficiadas e mais de 7 mil empregos serão gerados.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destaca a importância de se investir em saneamento básico. Ele também ressalta que concluir as obras em andamento é uma prioridade do Governo Federal.

“Nós sabemos o benefício que o tratamento de água, de esgotos, a canalização adequada dos córregos propicia às cidades. Então, nós estamos fazendo todo o esforço para que não haja nenhuma interrupção do cronograma físico-financeiro dessas obras. Desde a nossa chegada aqui, por orientação do presidente, não tem faltado recursos e nós esperamos brevemente estar concluindo essas obras e que elas sirvam à população."

No total, o Governo Federal vai repassar mais de 150 milhões de reais para a continuidade de obras de saneamento básico no Distrito Federal e em 18 estados do País.

Para saber mais sobre as ações do Ministério do Desenvolvimento Regional em saneamento básico, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
13/12/2021 20:35h

Os contratos de concessão terão prazo de 35 anos

Baixar áudio

Foi realizado nesta segunda-feira, 13 de dezembro, o leilão promovido pelo Governo de Alagoas para concessão dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário de duas Unidades Regionais de Saneamento, que abrangem 61 municípios.

O projeto prevê a universalização do acesso à água e a esgotamento sanitário para 1,3 milhão de pessoas até 2033. Os investimentos a serem assumidos pelos vencedores serão de dois bilhões e novecentos milhões de reais, dos quais um bilhão e seiscentos milhões serão aportados nos próximos cinco anos. Os contratos de concessão terão prazo de 35 anos.

Presente ao leilão, Pedro Maranhão, secretário nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, destacou que investir em saneamento básico é investir na saúde da população e na preservação do meio ambiente. 

"Saneamento, além de saúde [como disse o presidente do banco], ele salva vidas. O marco regulatório do saneamento, eu costumo dizer, é o maior programa ambiental do mundo. Não existe um programa no mundo que vá tratar esgoto para 100 milhões pessoas num espaço tão curto de tempo. E o marco regulatório do saneamento está proporcionando isso. Nós vamos tratar esgoto".

Para saber mais sobre ações do Ministério do Desenvolvimento Regional em saneamento básico, acesse mdr.gov.br.

Reportagem, Alessandro Mendes

Copiar o texto
29/11/2021 19:51h

Um dos focos da atuação conjunta é em agricultura irrigada

Baixar áudio

Nesta segunda-feira, 29 de novembro, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, se reuniu com Manuel Otero, diretor-geral do Instituto Interamericano para a Agricultura, o IICA. No encontro, foram debatidas parcerias entre as duas instituições.

Verônica Sánchez, secretária de Fomento e Parcerias com o Setor Privado do MDR, esteve presente ao encontro. Ela explica o alcance da parceria entre o Ministério e a instituição internacional.

"O IICA é um instituto de cooperação na área de agricultura, mas não só de agricultura, mas em toda a agenda de águas. Ele atua em 34 países das Américas. Com o Ministério do Desenvolvimento Regional, é uma parceria de muitos anos. Eles têm desenvolvido muitos projetos, não só na área de recursos hídricos, irrigação, Rotas do Desenvolvimento Regional, mas também na parte de saneamento

Um dos focos da atuação conjunta é em agricultura irrigada. O setor, inclusive, é apontado como principal ponto de aderência entre o IICA e o MDR, de acordo com Manuel Otero.

"Para o IICA, a parceria com o Ministério do Desenvolvimento Regional é muito importante. Os temas que foram identificados durante a reunião. Estão refletindo uma total coincidência entre as agendas. Gostaria de enfatizar, especialmente, o tema de irrigação, sob o ponto de vista da produção, da coleta de água, do uso ótimo de um recurso que vai ser cada vez mais escasso e que vai estar no topo da agenda mundial".

Para saber mais sobre essa e outras ações do Ministério do Desenvolvimento Regional, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
Brasil 61