Em São Paulo, foram aplicadas 70.326.452 doses de vacina e pelo menos 70% da população está protegida. Foto: Frank Meriño (Pexels)
Em São Paulo, foram aplicadas 70.326.452 doses de vacina e pelo menos 70% da população está protegida. Foto: Frank Meriño (Pexels)

Para infectologista, redução de mortes comprova eficácia da vacinação

Dados do Ministério da Saúde apontam que 344, 2 milhões de vacinas já foram distribuídas para todo o Brasil. Além disso, para a continuidade da vacinação em 2022, o Governo Federal garantiu mais de 354 milhões de doses.


Nesta quarta-feira (10),o Brasil recebeu um novo lote de vacinas contra a Covid-19 da Pfizer/Biontech. A remessa chegou ao Brasil pelo município de Campinas (SP) e contabiliza 1,7 milhão de doses do imunizante. No total, esta semana o país já recebeu mais de sete milhões de vacinas para reforçar a Campanha de Vacinação -  considerada pelo Ministério da Saúde como a maior da história do país.

Como resultado do avanço da vacinação, o Brasil registrou a queda mais significativa na média móvel de óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia (-31,24%). Um ponto em comum entre os estados que estão apresentando redução no registro de novos casos da Covid-19 e de mortes é que todos estão com situação avançada de vacinação. Para se ter uma ideia, em São Paulo, foram aplicadas 70.326.452 doses da vacina e pelo menos 70% da população está protegida. Já em Minas Gerais, até agora 27.946.204 doses foram administradas e 67,73% das pessoas já tomaram a segunda dose ou dose única. 

Para a médica infectologista Ana Helena Germoglio, a vacinação contra a Covid-19 foi o caminho que levou ao controle da doença e redução nos casos. “Os números não nos deixam mentir que a quantidade de casos caiu, mas também a quantidade de internação e, consequentemente, a quantidade de óbitos. Se tinha alguém com dúvida a respeito da segurança e da efetividade da vacina, os números não deixam a gente mentir. Não tem como esconder ou como manipular esse tipo de dado”, afirmou.

Estados e municípios recebem R$ 308 milhões para ações de enfrentamento da pandemia

Mais de 500 mil pacientes saíram dos hospitais para receber cuidados em casa

Dados do Ministério da Saúde apontam que 344.188.580 vacinas já foram distribuídas para todo o Brasil. Além disso, para a continuidade da vacinação em 2022, o Governo Federal garantiu mais de 354 milhões de doses. A proteção da população brasileira passa pela vacinação. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, faz uma convocação àqueles que ainda não se vacinaram contra o novo coronavírus.  

“O Ministério da Saúde exorta todos aqueles que ainda não se vacinaram, que procurem as salas de vacinação e tomem a vacina.  E aqueles que tomaram a primeira dose e não tomaram a segunda dose, que busquem essa segunda dose. Nós sempre defendemos que temos de ter a população como nossa aliada.”

Nessa segunda-feira (8), nove estados e o Distrito Federal não registraram mortes por conta da Covid-19, são eles: São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Sergipe, Piauí, Rondônia, Amapá, Roraima e Acre. Além disso, essa é a menor média móvel de mortes decorrentes da doença neste ano. Isso se traduz em cerca de 269 mortes, uma redução de 21%.

A informação faz parte do Localiza SUS, plataforma do Ministério da Saúde que mostra a situação da pandemia no Brasil, além de outros dados como a quantidade de vacinas enviadas aos estados e a aplicação dessas doses. Com essa ferramenta é possível acompanhar, por exemplo, a Campanha de Vacinação contra a Covid-19.  Desde que começou, em janeiro de 2021, foram aplicados 280 milhões de doses de vacina. Desta forma, o Brasil alcança a marca de 88% da população-alvo vacinada com a primeira dose e, pelo menos, 69% das pessoas com as duas doses ou dose única. 
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Nesta quarta-feira (10), o Brasil recebeu mais 1,7 milhão de doses do de vacina contra a Covid-19 para reforçar a Campanha de Vacinação, que é  considerada pelo Ministério da Saúde como a maior da história do país.

Como resultado do avanço da vacinação, o Brasil registrou a queda mais significativa na média móvel de óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia (-31,24%). 

Um ponto em comum entre os estados que estão apresentando redução no registro de novos casos da Covid-19 e de mortes por causa dessa doença é o de que todos estão com a população em situação avançada de vacinação. Para se ter uma ideia, em São Paulo, foram aplicadas 70.326.452 doses de vacina e pelo menos 70% da população está protegida. 

Já em Minas Gerais, até agora 27.946.204 de doses foram administradas e 67,73% das pessoas já tomaram a segunda dose ou dose única. Para a médica infectologista, Ana Helena Germoglio, a vacinação contra a Covid-19 foi o caminho que levou ao controle da doença e redução nos casos.
 

TEC./SONORA: Ana Helena Germoglio, infectologista

“Os números não nos deixam mentir que a quantidade de casos caiu, mas também a quantidade de internação e, consequentemente, a quantidade de óbitos. Se tinha alguém com dúvida a respeito da segurança e da efetividade da vacina, os números não deixam a gente mentir. Não tem como esconder ou como manipular esse tipo de dados.”
 

LOC.: O Governo Federal enviou mais de 344 mil vacinas para todo o Brasil. Além disso, para a continuidade da vacinação em 2022, mais de 354 milhões de doses foram compradas. A proteção da população brasileira passa pela vacinação, por isso o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, faz uma convocação àqueles que ainda não se protegem contra o novo coronavírus. 
 

TEC./SONORA: Marcelo Queiroga, ministro da Saúde

“O Ministério da Saúde exorta todos aqueles que ainda não se vacinaram, que procurem as salas de vacinação e tomem a vacina.  E aqueles que tomaram a primeira dose e não tomaram a segunda dose, que busquem essa segunda dose. Nós sempre defendemos que temos de ter a população como nossa aliada.”
 

LOC.: Dados do Ministério da Saúde revelam que desde o início da vacinação contra a Covid-19, em janeiro deste ano, foram aplicadas 280 milhões de doses de vacina. Desta forma, o Brasil alcança a marca de 88% da população-alvo vacinada com a primeira dose e, pelo menos, 69% das pessoas com as duas doses ou dose única.