Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Foto: Arquivo pessoal
Foto: Arquivo pessoal

Plataforma oferece agilidade a gestores públicos e transparência a população

Em entrevista ao portal Brasil61.com, o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert, explica as novidades e funcionamento da Plataforma +Brasil


Nesta semana o Ministério da Economia divulgou que o acompanhamento e comprovação do andamento de obras serão feitos de forma eletrônica e automática, em novo módulo incluso na Plataforma +Brasil. Para explicar melhor os detalhes da nova ação, funcionamento e benefícios que o sistema oferece aos gestores e cidadãos, o portal Brasil61.com conversou com o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert.

“A partir de agora a própria empresa terá acesso a plataforma para poder inserir digitalmente os seus documentos, como o extrato do contrato, os boletins de medição, trazendo, assim, mais eficiência para essa etapa do processo de execução das obras.”

A Plataforma +Brasil é uma ferramenta integrada e centralizada, com dados abertos a qualquer cidadão, destinada à informatização e à operacionalização das transferências de recursos referentes do Orçamento Fiscal e da Seguridade Social da União a órgão ou entidade da administração pública estadual, distrital, municipal, direta ou indireta, consórcios públicos e entidades privadas sem fins lucrativos.

Primeira antena rural 5G do Brasil possibilita aumento de produção no agronegócio

Wi-Fi Brasil: BB e Sebrae firmam parceria para levar internet a mil cidades

O sistema permite mais eficiência no processo de acompanhamento e execução de tarefas, além de trazer mais segurança para os dados ali inseridos. “A ferramenta tem uma série de controles como, por exemplo, georreferenciamento das obras que são executadas, ou o próprio repositório digital dos processos. Ela também tem uma série de instrumentos de transparência que podem ser acompanhados por qualquer cidadão que queira saber quanto dinheiro foi destinado para o seu município, quanto da obra já foi executada e assim por diante”, esclarece Heckert.

A Plataforma +Brasil opera 12 modalidades de transferências da União: Convênio, Contrato de Repasse, Termo de Parceria, Termo de Colaboração, Termo de Fomento, Transferências Fundo a Fundo de Segurança Pública, Fundo Penitenciário, Fundo Antidrogas, Fundo do Sistema Nacional de Emprego, Fundo Cultural (Lei Aldir Blanc), Transferências Especiais e Termo de Compromisso. Até 2022, o governo federal espera operar 31 modalidades na plataforma.

O cadastramento dos gestores na plataforma é obrigatório e o Ministério da Economia oferece suporte e capacitação (EAD e presencial) para que as informações sejam inseridas na página do programa. Os entes federados que não fizerem o cadastramento no +Brasil não conseguem fazer o repasse dos recursos para que as obras sejam executadas.

A população tem acesso às informações por meio dos painéis de transparência e aplicativos que a Plataforma +Brasil disponibiliza. Heckert destaca que o cidadão pode ativar filtros para ter maior acompanhamento das movimentações que acontecem em seu município.

“O cidadão pode cadastrar no aplicativo um filtro, por exemplo, em que toda vez que chegar dinheiro para sua região ele recebe um alerta. Se ele quiser saber como está o andamento de uma obra e ver fotos, a mesma coisa. O próprio cidadão pode nos ajudar a fiscalizar tirando fotos e enviando pelo próprio aplicativo e tudo isso vai se somando à documentação utilizada pelo governo para acompanhar a obra.”

O cidadão é um parceiro relevante no ciclo de fiscalização. É muito importante que ele nos auxilie fazendo denúncias ou reportes, isso traz um ganho enorme para a administração pública

Cristiano Heckert,
Secretário de Gestão do Ministério da Economia.

Para o secretário, a população tem um papel fundamental na plataforma. “Acreditamos que o cidadão, além de ser beneficiado pelas ações do governo, também é um parceiro importante no ciclo de fiscalização. É importante que ele [cidadão] nos auxilie fazendo denúncias ou reportes, isso traz um ganho enorme para a administração pública.”

Durante o bate-papo, Heckert falou também que o sistema é um grande aliado na prestação de contas. Confira agora a entrevista completa com o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Olá, sejam bem-vindos ao entrevistado da Semana. Eu sou Laísa Lopes e hoje vamos receber o secretário de Gestão do Ministério da Economia, Cristiano Heckert, para falar sobre a Plataforma +Brasil e um novo módulo que vai permitir o acompanhamento de obras no sistema de forma totalmente eletrônica e automática. Secretário, seja bem-vindo.

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, secretário de Gestão do Ministério da Economia

“Obrigado Laísa, é um prazer falar com você e com a audiência do Portal Brasil 61.”

LOC.: Logo de início gostaríamos que o senhor explicasse o que é a Plataforma +Brasil. 

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, secretário de Gestão do Ministério da Economia
 

“A Plataforma +Brasil é uma solução tecnológica para gerenciar todas as transferências que a União faz para estados, municípios e organizações de terceiro setor. Nós estamos falando de cerca de R$300 bilhões que são repassados todos os anos para cumprir políticas públicas nas mais diferentes áreas. Estamos trazendo agora uma ferramenta digital que com isso trará mais eficiência e também mais transparência ao processo.”

LOC.: E quais as vantagens de ter um sistema todo informatizado? Gera mais economia e segurança?

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, secretário de Gestão do Ministério da Economia
 

“As vantagens são muitas. A primeira é a eficiência do processo. Tendo informatizado, os trâmites são mais rápidos, tudo se dá, literalmente, na velocidade de um clique e a gente não tem aquela pilha de papel que precisa ser unida e depois enviada pelo correio para ser analisada. Todos os atores envolvidos podem estar acompanhando e executando as suas tarefas em tempo real na plataforma. Outro aspecto, como você bem ressaltou, é a segurança. A ferramenta tem uma série de controles como, por exemplo, georreferenciamento das obras que são executadas, ou o próprio repositório digital dos processos. Ela também tem uma série de instrumentos de transparência. Existem painéis de transparência onde nós damos publicidade aos dados que podem ser acompanhados por qualquer cidadão que quer saber quanto dinheiro foi destinado para o seu município, quanto da obra já foi executada e assim por diante.”

LOC.: Na última segunda-feira, dia 17, foi divulgado pelo Ministério da Economia que o acompanhamento de obras também será feito pela plataforma. Vocês pretendem incluir novos modelos futuramente?

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, secretário de Gestão do Ministério da Economia
 

“Sim, nós estamos com essa meta super ousada de trazer, nesse intervalo de quatro anos, de 2019 a 2022, todos os repasses do governo federal para a plataforma. Nós fizemos um levantamento, identificamos 31 modalidades diferentes de repasses que são feitos na Saúde, na Educação, na Cultura, no Esporte, no Desenvolvimento Regional e assim por diante. E destes 31, 12 já estão na plataforma, outros estão em processo de internalização junto aos seus respectivos ministérios e o grande destaque dessa semana é o lançamento do módulo empresa para acompanhamento de obras. A partir de agora, a própria empresa vai ter acesso à plataforma."

LOC.: A população terá acesso a esses documentos inseridos na plataforma pelas empresas? Como vai funcionar? 

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, Secretário de Gestão do Ministério da Economia
 

“A plataforma tem as ferramentas de transparência por meio dos painéis e também por meio de aplicativos que estão à disposição para o cidadão acompanhar. E como eu disse, ele, inclusive, pode cadastrar no aplicativo um filtro, por exemplo, em que toda vez que chegar um dinheiro novo para seu município, ele recebe um alerta, se ele quiser saber como está o andamento da obra e ver fotos. E o próprio cidadão pode nos ajudar a fiscalizar a obra, ele pode tirar fotos e enviar pelo próprio aplicativo e tudo isso vai se somando à documentação utilizada pelo governo para acompanhar a construção.”

LOC.:  A participação dos gestores no sistema é obrigatória. Secretário, o que acontece se eles não fizerem o cadastro na Plataforma +Brasil?

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, Secretário de Gestão do Ministério da Economia
 

“Eles não vão conseguir repassar o recurso, não vão conseguir executar, ou seja, todo o processo se dá dentro da plataforma. Ela é a ferramenta automatizada onde as etapas são executadas. Todo o andamento para que o recurso seja, de fato, gasto e depois prestado as contas, tem que ser feito dentro da plataforma.”

LOC.: Para ter acesso à ferramenta basta acessar o www.portal.plataformamaisbrasil.gov.br, lá você clica na opção que deseja obter informação. Chegamos ao final do nosso bate-papo, muito obrigada pela colaboração e disponibilidade, secretário.

TEC./SONORA:  Cristiano Heckert, secretário de Gestão do Ministério da Economia
 

“Muito obrigado, Laísa, eu que agradeço, estou sempre à disposição."

LOC.: O Entrevistado da Semana fica por aqui. Até a próxima. Tchau!