Educação Profissional

22/07/2021 04:00h

Confira as ações de combate ao coronavírus nas escolas dos municípios levantadas pelo portal Brasil61.com

Baixar áudioBaixar áudio

Mais de 96,9% das escolas do país reforçaram as ações de limpeza e redobraram atenção na rotina de higienização das mesas, cadeiras, portas e maçanetas, vasos sanitários e pias, por exemplo, desde o início da pandemia da Covid-19. 

O monitoramento da temperatura é realizado em 94,5% das escolas e a exigência do uso de máscaras cresceu 98% nas instituições. Os dados são alusivos ao calendário de 2020 e foram colhidos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) entre fevereiro e maio de 2021. 

Covid-19: vacinação para menores de 18 anos ainda aguarda aprovação do Ministério da Saúde

As informações foram reunidas pelo portal Brasil61.com e revelam, por exemplo, quantas escolas tiveram adequação na infraestrutura por precaução ao coronavírus nas cidades. Ao todo, mais de 56% das escolas do país realizaram algum tipo de reforma na infraestrutura dos prédios para tornar os ambientes mais seguros. 

Os dados também mostram que mais de 2,6 mil escolas públicas municipais responderam ao questionário do Inep. Na rede, mais de 90% aumentaram ações de limpeza, 78,4% monitoram temperatura, 93,5% exigem uso de máscaras, 37,2% realizaram reformas e 90,4% restringem trânsito de pessoas e previnem aglomerações. 

Confira como está a estrutura das escolas da sua cidade a seguir.  

As informações colhidas pelo Inep são importantes na compreensão dos efeitos da pandemia da Covid-19 na Educação e traz expectativas positivas para a volta às aulas presenciais. 

A pesquisa teve início em fevereiro e até o mês de maio cerca de 16,5 mil escolas, 94%, responderam ao questionário suplementar, durante o Censo Escolar 2020, sobre o rendimento dos estudantes durante a pandemia do coronavírus. As ações de enfrentamento a Covid-19 também foram monitoradas pela pesquisa. O número corresponde a mais de 97% da rede pública e mais de 83% dos estabelecimentos privados. 

Covid-19: “Provavelmente vamos precisar, no futuro, de uma terceira dose”, diz infectologista

Os ministérios da Educação e Saúde, pretendem publicar portaria de orientação para o retorno às aulas presenciais. Nesse sentido, escolas de todo país devem se preparar para colocar em prática ações de prevenção a Covid-19. 

“Todo município e toda escola precisam ter ações a seguir nesse momento. Os gestores devem garantir os materiais, os equipamentos necessários para cumprir [o ano letivo]. Os professores, os alunos, os funcionários das escolas precisam ficar atentos”, sugere Luiz Miguel, presidente da Undime. 

Em 2020, mais de 99% das escolas do país tiveram paralisação das aulas presenciais e mais de 90% não encerraram o ano letivo. Entre as escolas públicas, cerca de 53%, tiveram mudanças no calendário escolar. Nos municípios, 97,5% entre as escolas das cidades protelaram o encerramento do ano letivo de 2020 para 2021. 

“É fundamental dialogar com as autoridades dos municípios, com as famílias, com os professores, para que essa retomada não implique em um constante abre e fecha de escola”, alerta Luiz Miguel. 

Copiar o texto
20/07/2021 11:35h

As vagas são para profissionais que queiram iniciar estudos no campo da pesquisa clínica

Baixar áudio

Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde em parceria com o hospital Moinho de Ventos, de Porto Alegre (RS), está com inscrições abertas para capacitação de profissionais em saúde de várias especialidades e de graça.

Covid-19: “Provavelmente vamos precisar, no futuro, de uma terceira dose”, diz infectologista

Os cursos são de introdução à epidemiologia clínica, estruturação da equipe e tópicos regulatórios, prática clínica baseada em evidências, entre outros. Podem se inscrever nos cursos profissionais que trabalham com pesquisa e que queiram iniciar estudos no campo da pesquisa clínica. A carga horária varia entre 10 e 20 horas, de acordo com cada curso. As inscrições se encerram no dia 31 de julho. As inscrições podem ser realizadas pela internet. 

Governo intensifica fiscalização de irregularidades no auxílio emergencial

Além disso, a Fiocruz abriu vagas para curso de qualificação no Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica, o sistema Hórus. O objetivo é capacitar profissionais da assistência farmacêutica no uso correto da tecnologia. O curso tem carga horária de 10 horas e é voltado para profissionais da assistência farmacêutica, farmacêuticos e profissionais que usam o sistema. As inscrições serão realizadas no site da Fiocruz, na internet.

Copiar o texto
12/06/2021 04:10h

Evento será realizado no dia 9 de dezembro deste ano de forma virtual

Baixar áudio

As inscrições para a Jornada Agro Íntegra estão abertas até o dia 18 de junho. O evento será realizado no dia 9 de dezembro deste ano de forma virtual e tem como objetivo estimular o fortalecimento de práticas de integridade e compliance em pequenas e médias empresas (PMEs) e cooperativas do setor agropecuário.

Projeto de educação financeira do BC pode criar cadeia de aprendizado sobre gestão de finanças pessoais

Projeto de educação financeira do BC é expandido para todas as escolas públicas do Brasil

Os participantes terão a oportunidade de acessar, gratuitamente, conteúdo, treinamentos, mentorias especializadas e ferramentas práticas para lidar com os desafios relacionados ao tema integridade, proporcionando com que seus empreendimentos se tornem mais transparentes e competitivos.

No ato da inscrição, a empresa deverá selecionar um dos quatro objetivos a serem trabalhados durante a Jornada: acessar mercados institucionais, acessar mercados externos, fornecer para grandes instituições ou acessar financiamento. A conclusão das atividades dentro dos prazos será observada como critério de permanência no programa e recebimento de certificado ao final do evento.

Copiar o texto
28/05/2021 09:20h

Oportunidades são oferecidas no Cesas, na Escola Técnica de Ceilândia e no Centro Educacional 2 do Cruzeiro

Baixar áudio

A Secretaria de Educação do Distrito Federal abre 1.890 vagas em cursos técnicos profissionalizantes de nível médio. As oportunidades serão oferecidas no Cesas, no Centro de educação profissional - Escola Técnica de Ceilândia (CEP-ETC) e no Centro Educacional 2 do Cruzeiro. Os editais foram publicados do Diário Oficial do DF da última quarta-feira (26).

No Cesas, as vagas são na modalidade presencial para operador de cozinha, assistente administrativo, jardineiro e auxiliar de cozinha. Ao todo são 100 oportunidades para o segundo semestre deste ano. 

Na Escola Técnica da Ceilândia, os cursos são técnicos de nível médio, com 970 vagas, ou de formação inicial e continuada, com 750 vagas. Para o nível médio, as oportunidades são para técnico em administração, informática e logística. Para a formação inicial e continuada, as vagas são para assistente administrativo, assistente de recursos humanos, barbeiro, cabeleireiro, costureiro industrial, vestuário, manicure e pedicure, marceneiro, montador de equipamentos eletrônicos, operador de computador, programador web, programador de sistemas intenete e montador, além de reparador de computadores.

Educação Profissional: “não é só uma preparação para o emprego, mas a possibilidade de desenvolvimento do nosso País”, afirma deputada Professora Dorinha

“Dia Nacional da Educação Profissional é uma forma de valorização do ser humano no mundo do trabalho”, destaca senador Flávio Arns

Já no Centro Educacional 2 do Cruzeiro, são 70 vagas na modalidade presencial para curso de nível médio de técnico em serviços públicos integrado à educação de jovens e adultos, eixo tecnológico e gestão de negócios.

Cada unidade de ensino possui sua data de inscrição, que pode ser conferida no edital.

Copiar o texto
24/05/2021 11:30h

Escolas oferecem cursos de áreas como informática, administração, eletrotécnica e administração, por exemplo, para estudantes do ensino médio ou quem já concluiu essa etapa

Baixar áudio

Moradores do Distrito Federal podem se inscrever em mais de 4 mil cursos gratuitos de ensino técnico na capital. Ao todo, são 4.257 vagas para diversas áreas de atuação, como informática, administração, eletrotécnica e administração, por exemplo.

O ensino técnico é voltado tanto para estudantes do ensino médio quanto para aqueles que já concluíram essa etapa. A metodologia segue normas do Ministério da Educação e possui validade em todo o país. 

Os cursos terão início no segundo semestre deste ano, com oportunidades presenciais e on-line, em 14 escolas espalhadas pelas regiões administrativas. 

Os interessados no ensino técnico devem ficar atentos ao site da Secretaria de Educação ou ao edital de chamada, que deve ser publicado em breve no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), segundo a pasta. A seleção dos estudantes é feita por meio de sorteio eletrônico.

Copiar o texto
18/05/2021 13:30h

Estão disponíveis 40 vagas destinadas a jovens de sete municípios

Baixar áudio

Em parceria com o Senac-MS, a Subsecretaria de Estado de Políticas Públicas para Juventude está com inscrições abertas para o curso online “Desenvolvimento de Aplicativos Móveis para Multiplataforma com Xamarim Forms”.

Capacitação em Eficiência Energética é lançada pela Eletrobras para gestores públicos do Sul

Ministério da Cidadania lança curso sobre políticas voltadas para a primeira infância

O programa Capacita Juventude, que é desenvolvido em parceria com o Senac-MS desde o início do ano, já qualificou aproximadamente 200 jovens, de acordo com o Subsecretário de Estado de Políticas Públicas para Juventude, Ian Leal. Ao todo, são ofertadas 40 vagas destinadas a jovens dos municípios de Campo Grande, Aquidauana, Naviraí, Corumbá, Sidrolândia, São Gabriel do Oeste e Terenos.

Para participar é necessário ter idade mínima de 16 anos, ensino fundamental completo e possuir conhecimento em lógica de programação. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 28 de maio no site: http://www.cursos.ms.gov.br/Subjuv. Mais informações podem ser obtidas através do e-mail juventude@segov.ms.gov.br ou pelo telefone (67) 3316-9141.

Copiar o texto
13/05/2021 04:30h

Equívoco foi apontado na versão do Diário Oficial da União publicado em 7 de maio

Baixar áudio

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) informou que identificou uma falha de diagramação nas versões não certificadas dos editais do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida), publicadas no Diário Oficial da União (DOU).

No edital para o Revalida 2021, o erro foi em relação à primeira etapa do processo, que é composta por prova objetiva e prova discursiva, sendo ambas eliminatórias. Entretanto, na versão do DOU, uma falha na diagramação poderia levar o leitor a entender que apenas a prova objetiva seria eliminatória.

Revalida 2021: Inep divulga data de inscrições 

Mais Médicos: prorrogado por mais um ano a atuação de 2.900 profissionais

Já no edital de 2020, o mesmo problema ocorreu, mas em relação à prova de habilidades clínicas, que foi realizada em dois dias, no sábado e domingo. Na versão não certificada, o leitor poderia entender que apenas as tarefas do primeiro dia seriam eliminatórias.

O Revalida é aplicado pelo Inep desde 2011 e busca subsidiar a revalidação, no Brasil, do diploma de graduação em medicina expedido no exterior.

Copiar o texto
Educação
08/05/2021 04:45h

Candidatos devem se inscrever entre os dias 31 de maio e 11 de junho. Primeira etapa do exame acontecerá em oito capitais brasileiras

Baixar áudio

Nesta sexta-feira (7), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) publicou, no Diário Oficial da União (DOU), edital com as diretrizes da primeira etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) do ano de 2021. As inscrições vão de 31 de maio a 11 de junho e devem ser feitas no site oficial do Revalida.

O exame é composto por duas etapas, uma teórica e outra prática, que abordam e avaliam os conhecimentos dos candidatos nas cinco grandes áreas da medicina: clínica médica, cirurgia, ginecologia, pediatria e medicina da família e comunidade. A aplicação da primeira etapa do exame está prevista para o dia 5 de setembro, em oito capitais brasileiras: Brasília (DF), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio Branco (AC), Salvador (BA) e São Paulo (SP). No momento da inscrição, o participante deverá apontar a cidade onde deseja realizar a prova.

Pagamentos do Fies podem ser suspensos até o fim de 2021

Enem: datas para pedir isenção de taxa de inscrição são divulgadas

Para participar, é necessário ser brasileiro ou estrangeiro em situação legal no Brasil. O candidato também deverá ter diploma reconhecido pelo Ministério da Educação ou órgão equivalente do país de origem do diploma. O resultado final da primeira etapa está previsto para ser divulgado no dia 19 de novembro.

Para mais informações, acesse o edital.

Copiar o texto
30/04/2021 03:00h

Em entrevista ao portal Brasil61.com, a congressista comentou a aprovação do Dia Nacional da Educação Profissional, cujo projeto foi de sua autoria na Câmara dos Deputados

Baixar áudioBaixar áudio

A deputada Professora Dorinha (DEM/TO) afirmou ao portal Brasil61.com que vê a educação profissional não apenas como porta de entrada ao mercado de trabalho, mas como um caminho para o desenvolvimento do País. A congressista é autora do Projeto de Lei 62/2015 — sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro na última semana — que institui a data de 23 de setembro como o Dia Nacional da Educação Profissional. 
 
Dorinha também destacou que a criação de um dia para celebrar a educação profissional no País traz um ‘simbolismo provocativo’, já que o Brasil, na visão dela, ainda investe muito pouco nessa área. 
 
De acordo com a edição mais recente do Anuário Brasileiro da Educação Básica, publicado pelo Todos pela Educação, apenas 18,7% dos estudantes brasileiros matriculados no ensino médio cursam o ensino profissionalizante. No Tocantins a quantidade de estudantes matriculados na educação profissional técnica é de 16,7%, 13.642 ao todo, índice inferior à média nacional.
 
Nos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) esse índice chega a cerca de 50%. Segundo a deputada, o Brasil só vai conseguir avançar na temática quando houver mudança na política pública voltada à educação profissional. 
 
“Eu vejo com bons olhos quando a gente tem oportunidades de ter experiências de formação que envolvam o mundo do trabalho. Eu tive a oportunidade de conhecer o evento da Alemanha, em que os jovens são formados parte na empresa e parte na escola. Acho que isso faz uma diferença enorme”, cita. 
 
Um dos objetivos do Dia Nacional da Educação Profissional é promover discussões sobre os desafios e potencialidades dessa modalidade de educação, “fundamental para o desenvolvimento da economia, da empregabilidade e da melhoria da qualidade de vida dos brasileiros”, destaca a autora da proposta. 

Arte: Brasil 61

Emprego

Doutor em Psicologia Educacional e pesquisador do Instituto Experto Brasil, Afonso Galvão, afirma que a educação profissional é fundamental para inserir mais pessoas no mercado de trabalho, além de suprir a falta de mão de obra qualificada que diversos setores da economia acabam enfrentando.
 
“A educação profissional é muito importante porque é uma educação que é geradora de emprego. As pessoas saem da educação profissional qualificadas e encontram espaço no mercado de trabalho para aplicar seus conhecimentos”, destaca o especialista. 
 
Estudos apontam que jovens com formação técnica de nível médio têm mais facilidade para entrar e se manter no mercado de trabalho do que aqueles formados no ensino médio regular. 

“Dia Nacional da Educação Profissional é uma forma de valorização do ser humano no mundo do trabalho”, destaca senador Flávio Arns

Dia da Educação Profissional: Bolsonaro sanciona lei que cria data comemorativa
 
E isso vale para diferentes faixas etárias. Segundo pesquisa da Consultoria IDados, que contou com apoio da CNC, Sesc e Senac, entre 17 e 29 anos, por exemplo, os estudantes que tiveram educação profissional passaram, em média, 20,6% do tempo desocupados. Para quem fez o ensino médio regular, esse percentual sobe para 25,2%.
 
Para João Marcelo Borges, pesquisador do Centro de Desenvolvimento da Gestão Pública e Políticas Educacionais, da Fundação Getulio Vargas, é preciso romper com a ideia de que o ensino técnico é menos importante do que o ensino superior. “Muito disso, está ligado ao nosso passado escravocrata, de um País voltado ao bacharelado, que se importa mais com títulos do que com competências, que valoriza mais o canudo e o diploma do que a capacidade efetiva de trabalho e de abordar para produtividade das firmas, organizações e do País como um todo”, critica. 

Copiar o texto
28/04/2021 03:00h

Em entrevista ao portal Brasil 61.com, o parlamentar comemorou a aprovação da data e sua importância para promover o ensino profissionalizante pelo País

Baixar áudioBaixar áudio

Em entrevista ao portal Brasil61.com na última quinta-feira (22), o senador Paulo Paim (PT/RS) comemorou a aprovação e sanção do Projeto de Lei da Câmara (PLC) 62/2015 que cria o Dia Nacional da Educação Profissional. A partir desse ano, a data passa a ser celebrada em 23 de setembro.
 
Um dos objetivos do Dia Nacional da Educação Profissional será promover discussões sobre os desafios e potencialidades dessa modalidade de educação, fundamental para o desenvolvimento da economia, da empregabilidade e da melhoria da qualidade de vida dos brasileiros, segundo a autora da proposta, a deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM/TO). 
 
Paulo Paim afirmou que a mera existência de uma data para celebrar e fortalecer as ações e projeções do ensino profissionalizante no País favorece as políticas públicas para o setor, capacita os profissionais da área e promove a inserção dos jovens no mercado de trabalho. 
 
“Precisamos investir nos nossos jovens e a educação profissional tem esse segurado papel. O reconhecimento da educação profissional, além de promover e incentivar os profissionais, aquece cada vez mais a economia e incentiva as contratações nas empresas da nossa juventude”, destacou. 

Arte: Brasil 61

Experiência própria

O senador lembrou que é “fruto” da educação profissional e tem orgulho do segmento. Ele estudou na Escola Senai Nilo Peçanha, em Caxias do Sul (RS).  “Lá me formei e a minha vida mudou. O ensino profissionalizante transforma vidas, como a minha. Um jovem que amassava barro e depois vendia frutas e flores, mas com o curso profissionalizante no Senai tornei-me, no caminhar da vida, deputado federal por quatro vezes e senador da República, no terceiro mandato”, recordou.

As estatísticas indicam que o País ainda tem muito a avançar no fomento à educação profissional. De acordo com a versão 2020 do Anuário Brasileiro da Educação Básica, do movimento Todos pela Educação, o Rio Grande do Sul, por exemplo, tem 25,4% dos alunos matriculados no ensino médio cursando, também, o ensino profissionalizante. 

O índice é o segundo melhor do País, ficando atrás, apenas, do Rio Grande do Norte (25,6%). Apesar disso, ainda está longe dos índices dos países membros da OCDE, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, que chegam a quase 50%. 

Atualmente, o Brasil tem 1,9 milhão de alunos matriculados na Educação Profissional. Entre 2009 e 2019, o percentual de estudantes matriculados no ensino médio e que fazem cursos profissionalizantes passou de 11,6% para 18,7%. 

“Dia Nacional da Educação Profissional é uma forma de valorização do ser humano no mundo do trabalho”, destaca senador Flávio Arns

Dia da Educação Profissional: Bolsonaro sanciona lei que cria data comemorativa

Emprego

Doutor em Psicologia Educacional e pesquisador do Instituto Experto Brasil, Afonso Galvão, afirma que a educação profissional é fundamental para inserir mais pessoas no mercado de trabalho, além de suprir a falta de mão de obra qualificada em diversos setores da economia.
 
“A educação profissional é muito importante porque é uma educação que é geradora de emprego. As pessoas saem da educação profissional qualificadas e encontram espaço no mercado de trabalho para aplicar seus conhecimentos”, destaca o especialista. 
 
Jovens com formação técnica de nível médio têm mais facilidade para entrar no mercado de trabalho do que aqueles formados no ensino médio regular para todas as faixas etárias analisadas, segundo pesquisa da Consultoria IDados, que contou com apoio da CNC, Sesc e Senac.
 
De acordo com o levantamento, entre 17 e 29 anos, por exemplo, os estudantes que tiveram educação profissional passaram, em média, 20,6% do tempo desocupados. Para quem fez o ensino médio regular, esse percentual sobe para 25,2%. 

Para João Marcelo Borges, pesquisador do Centro de Desenvolvimento da Gestão Pública e Políticas Educacionais, da Fundação Getulio Vargas, é preciso romper com a ideia de que o ensino técnico é menos importante do que o ensino superior. 
 
“Muito disso está ligado ao nosso passado escravocrata, de um País voltado ao bacharelado, que se importa mais com títulos do que com competências, que valoriza mais o canudo e o diploma do que a capacidade efetiva de trabalho e de abordar para produtividade das firmas, organizações e do País como um todo”, critica. 

Copiar o texto
Brasil 61