Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Saúde

02/03/2021 12:30h

Segundo Secretaria de Saúde Municipal, mais de 300 mil pessoas já haviam recebido a primeira dose da contra contra o novo coronavírus até a última sexta (26)

Baixar áudio

A cidade do Rio de Janeiro vai vacinar pessoas com 79 anos ou mais contra a Covid-19 até a próxima quarta-feira (3). Também podem se vacinar, hoje e amanhã, os profissionais de saúde com mais de 60 anos e que ainda não receberam a primeira dose. 

A imunização ocorre nos postos de saúde e clínicas da capital fluminense entre 8h e 17h. A primeira dose também será aplicada no Planetário da Gávea; no Museu da República, no Catete; no Tijuca Tênis Clube e na Igreja Nossa Senhora do Rosário, no Leme.

Covid-19: estados e municípios poderão assumir a responsabilidade civil por efeitos adversos provocados pela vacina

Ministério da Saúde adquire 20 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 produzida na Índia

Copiar o texto
02/03/2021 12:00h

Conass pede proibição de eventos, suspensão das aulas presenciais e, até, toque de recolher nacional

Baixar áudio

Em carta aberta divulgada nesta segunda-feira (1º) os secretários estaduais de Saúde pediram medidas de restrição mais rígidas das atividades não essenciais. No documento, eles sugerem bloqueio total nos locais onde a ocupação de leitos estiver acima de 85% e houver tendência de elevação no número de casos e óbitos por Covid-19. 

Os membros do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) solicitaram, entre outras coisas, a proibição de shows, congressos, atividades religiosas e esportivas em todo o País. Também pede a suspensão das aulas presenciais em todos os níveis da educação e toque de recolher nacional, de segunda a sexta, das 20h até as 6h, inclusive durante fins de semana. 

Covid-19: estados e municípios poderão assumir a responsabilidade civil por efeitos adversos provocados pela vacina

Saúde: sem necessidade de prorrogação leitos de UTI poderão operar até o fim da pandemia para pacientes com COVID-19

Copiar o texto
02/03/2021 11:50h

Ministério da Saúde adquiriu 20 milhões de doses da Covaxin, que é produzida pela Bharat Biotech

Baixar áudio

Técnicos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) visitaram a fábrica da empresa indiana Bharat Biotech nesta segunda-feira (1º). A companhia produz a Covaxin, vacina contra a Covid-19, cujo Ministério da Saúde adquiriu 20 milhões de doses na última quinta-feira (25). 

Ao todo, cinco servidores da Anvisa vão avaliar os padrões de produção da matéria-prima usada na fabricação do imunizante. A inspeção deve se estender até sexta-feira e é necessária para que a agência conceda o Certificado de Boas Práticas de Fabricação ao laboratório farmacêutico. 

Ministério da Saúde adquire 20 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 produzida na Índia

Covid-19: estados e municípios poderão assumir a responsabilidade civil por efeitos adversos provocados pela vacina

Copiar o texto
02/03/2021 10:25h

Até o momento, essa é considerada a maior carga do ingrediente que a Fiocruz recebeu para produção do imunizante contra a Covid-19

Baixar áudio

Um novo lote de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para a produção da vacina da AstraZeneca chegou ao Brasil, no último sábado (27). O material veio da China e será utilizado pela Fiocruz para fabricação do imunizante contra a Covid-19.

Até o momento, essa é considerada a maior carga do ingrediente que a Fiocruz recebeu. O lote vai possibilitar a produção de 12 milhões de doses de vacina no Brasil.

Covid-19: estados e municípios poderão assumir a responsabilidade civil por efeitos adversos provocados pela vacina

Saúde: sem necessidade de prorrogação leitos de UTI poderão operar até o fim da pandemia para pacientes com COVID-19

As doses serão distribuídas no âmbito do Programa Nacional de Imunização (PNI). No início do último mês, o País recebeu o primeiro lote do IFA da vacina da AstraZeneca, permitindo a produção de 2,8 milhões de doses.

 

Copiar o texto
02/03/2021 00:00h

Objetivo do Projeto de Lei é facilitar a compra dos imunizantes por governadores, prefeituras e empresas privadas

Baixar áudioBaixar áudio

Estados, municípios e Distrito Federal poderão assumir a responsabilidade civil por eventuais efeitos adversos provocados pela vacina contra a Covid-19. O objetivo do Projeto de Lei 534/2021 é facilitar a compra dos imunizantes por governadores, prefeituras e empresas privadas. Segundo a proposta, as vacinas precisam ter registro ou autorização temporária de uso emergencial na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O Projeto de Lei também permite que empresas privadas adquiram doses do imunizante, desde que respeitados alguns critérios: enquanto não for concluída a etapa de vacinação dos grupos prioritários para Covid-19, 100% das doses compradas pelo setor privado devem ser doadas ao SUS. Depois dessa fase, as empresas poderão adquirir, distribuir e administrar vacinas, contanto que metade seja, obrigatoriamente, doada ao SUS e as demais sejam utilizadas de forma gratuita. 

COVID-19: Senado vota nesta terça (2) MP que facilita compra de vacinas

Punição trabalhista a funcionário que recusa vacina é discutida

Brasil precisa adquirir mais doses da vacina para combater Covid-19

O Senador Nelson Trad (PSD-MS) comenta a medida. “A partir do momento que o grupo – estabelecido como prioritário a ser vacinado pelo SUS – for totalmente contemplado, que possa ingressar também a iniciativa privada, para poder vacinar sua massa laborativa, colocando como contrapartida, a doação de 50% dos vacinados para disponibilizar ao SUS, a fim de que ele possa dar sequência a vacinação”, comenta.

Assunção de riscos

A professora de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília, Sílvia Badim Marques, ressalta o parágrafo 6º do Artigo 37 da Constituição Federal, que prevê a responsabilidade objetiva do Estado pelos danos causados por pessoas jurídicas a terceiros e isso já é aplicado no âmbito da saúde. Mas ressalta que o PL 534/2021 reforça essa medida.

“Então a lei vai reforçar essa responsabilidade dos estados, municípios e todas as pessoas jurídicas de direito público. Mas é importante dizer que não pode fazer com que o Ministério da Saúde e o Governo Federal deixem de lado sua responsabilidade [de comprar vacinas] e joguem ela totalmente para os estados e municípios”, avalia.

O texto foi encaminhado para análise da Câmara dos Deputados.

Copiar o texto
02/03/2021 00:00h

Arthur Lira (PP/AL) quer realizar teleconferência para definir propostas

Baixar áudio

Câmara dos Deputados e governadores alinhados nas estratégias para o combate à Covid-19. Essa é a proposta do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP/AL), que disse pretender fazer uma teleconferência com os governadores na próxima semana.

Punição trabalhista a funcionário que recusa vacina é discutida

Ministério da Saúde investe R$ 7,9 milhões em Farmácias Vivas

Além dos governadores, a ideia é estarem juntos o relator-geral da proposta de Orçamento da União de 2021, senador Márcio Bittar (MDB/AC), e a presidente da Comissão Mista de Orçamento, deputada Flávia Arruda (PL-DF), para ouvir propostas sobre como o Orçamento da União pode ajudar na superação da pandemia.

Copiar o texto
02/03/2021 00:00h

Antes, era necessário obter autorização para prorrogar funcionamento de leitos habilitados pelo órgão em estados e municípios

Baixar áudio

Visando agilizar e dar qualidade ao tratamento dos pacientes com Covid-19, o Ministério da Saúde decidiu que os leitos de UTI autorizados pelo órgão não vão mais precisar de prorrogação. Assim, vão poder operar até o fim da crise sanitária. A decisão ocorre após acordo com representantes dos secretários estaduais e municipais de Saúde. 
 
A pasta também abriu novo pregão eletrônico para adquirir 460 milhões de seringas e agulhas, que devem custar cerca de R$ 75 milhões. Os insumos vão ser usados para dar continuidade à vacinação contra a Covid-19 no Brasil. 

Punição trabalhista a funcionário que recusa vacina é discutida

Ministério da Saúde investe R$ 7,9 milhões em Farmácias Vivas

Copiar o texto
01/03/2021 14:00h

Com a chegada dos equipamentos, município contabiliza 52 respiradores

Baixar áudio

Município de Uberlândia (MG) recebe mais 25 respiradores para dar suporte no atendimento nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Destes, 13 vieram do governo estadual e 12 da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). Com a chegada dos novos equipamentos, a cidade contabiliza 52 respiradores, que são essenciais para o tratamento de pacientes com Covid-19.

Segundo a prefeitura, os aparelhos serão destinados, a princípio, para o Hospital Municipal e Anexos, mas, de acordo com a demanda, poderão ir para qualquer Unidade de Atendimento Integrado (UAI). O transporte dos respiradores foi feito com apoio da Polícia Militar.

Brasil precisa adquirir mais doses da vacina para combater Covid-19

Anvisa concede registro definitivo à vacina da Pfizer contra a Covid-19

Copiar o texto
01/03/2021 13:00h

Na quinta-feira (25), o estado registrou recorde no número de pacientes internados em leitos críticos com Covid-19 desde o início da pandemia

Baixar áudio

Os Ministérios Públicos do Rio Grande do Norte recomendaram ao Governo do Estado e às Prefeituras Municipais que adotem providências mais rigorosas de distanciamento social. Na quinta-feira (25), o estado registrou recorde no número de pacientes internados em leitos críticos com Covid-19 desde o início da pandemia. 

Ao todo haviam 416 pessoas internadas em tratamento intensivo da doença em leitos públicos e privados no Estado, com 15 pacientes aguardando regulação para leitos de UTI em hospitais.

Punição trabalhista a funcionário que recusa vacina é discutida

Reflexo da vacinação na pandemia pode durar meses, diz Opas

Também foi recomendada a suspensão de cirurgias eletivas e das aulas presenciais em toda a rede de ensino do Estado. As prefeituras de todos os municípios potiguares devem se abster de praticar quaisquer atos que possam flexibilizar medidas restritivas estabelecidas pelo governo do rio Grande do Norte.

Copiar o texto
01/03/2021 11:25h

Expectativa é de que oito milhões de doses cheguem ao Brasil ainda no mês de março

Baixar áudio

O Ministério da Saúde assinou contrato de R$ 1,6 bilhão para a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin. A aquisição do imunizante contra a Covid-19 foi acordada com a Precisa Medicamentos / Bharat Biotech. 
 
Oito milhões de doses devem chegar ao Brasil ainda no mês de março. Em abril, desembarca no País a mesma quantidade de doses. Outras quatro milhões devem chegar em maio. Todas as vacinas vão compor o Plano Nacional de Imunização (PNI). 

Reflexo da vacinação na pandemia pode durar meses, diz Opas

Punição trabalhista a funcionário que recusa vacina é discutida

Copiar o texto